sábado, 19 de fevereiro de 2011

Exercício poético 2 sem título

Ando querendo saber como será ser
Onde o dia que vem e todos os seus rodeios
São a possibilidade de renovação

Ando sendo lua, ando sendo cheia!
Das possibilidades de ser livre, querendo a mais inesperada
Ando sendo árvore, ando, ando,se eu fosse eu, andaria

E os sonhos e o dia da pouca emoção
que não faça perder a cor
E se fosse você andaria de carangueijo, mas andaria

E daqui ao novo é só o passo da libertação
Além do nada, nada mais será do nada presente.

Por mim e Juliana

2 comentários:

  1. Sumayra, lindo e libertador... Uma poética que nos afeta, disparando ousadia e vontade de viver,
    Abraços com ternura... Jorge

    ResponderExcluir
  2. Jorge,
    Suas considerações me faz acreditar nas internas possibilidades poeticas...

    ResponderExcluir