domingo, 30 de outubro de 2011

Livro: "Pontos de cultura: olhares sobre o Programa Cultura Viva"


O IPEA acaba de lançar o livro “Pontos de cultura: olhares sobre o Programa Cultura Viva”, uma coleção de textos e trabalhos acadêmicos, que abordam o desenvolvimento do trabalho a partir do programa.


O livro pode ser acessado na página eletrônica do Ipea







Inscreva-se para a Mostra de Cinema Independente

A Mostra de Cinema Independente é uma iniciativa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) para dar voz e visão a produção independente nacional de filmes. Serão selecionados 30 filmes entre curtas (com duração de cinco minutos a 20 minutos) e longas metragens (a partir de 70 minutos), em qualquer gênero (ficção, animação, documentário, experimental), com finalização digital.


O requisito obrigatório das obras audiovisuais é a realização com produção independente, sem a obtenção de incentivos públicos. Os filmes serão exibidos em uma sala de projeção (casulo) durante a 2° Conferência do Desenvolvimento, nos dias 23 a 25 de novembro, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, em Brasília. A primeira edição da Code, em 2010, reuniu 8 mil pessoas.

As inscrições podem ser feitas de 24 de outubro a 11 de novembro de 2011.

Mais informações: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=10475&catid=4&Itemid=2

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Livro reúne 300 capas de jornais alternativos dos anos de chumbo

Dos panfletos revolucionários aos folhetins irreverentes, de Marighella a Lula, o livro As Capas desta História reúne mais de 300 imagens de jornais alternativos, clandestinos e produzidos no exílio entre 1964, ano do golpe, e 1979, quando foi aprovada a Lei da Anistia. A obra traz ainda capas de jornais considerados precursores das publicações surgidas nos anos de chumbo.




A obra foi produzida pelos jornalistas Ricardo Carvalho (coordenador geral), Luiz Del Roio (contexto) e Vladimir Sacchetta (pesquisa), que fazem parte do Instituto Vladimir Herzog. O lançamento será realizado nesta terça-feira (25), na Livraria Cultura da avenida Paulista, em São Paulo.

As imagens de mais de 30 publicações que rodaram no exílio, em países como Chile, México, Suécia, Itália, França, Portugal e Argélia, são inéditas, segundo Carvalho. “Era a forma dos mais de 3 mil exilados se comunicarem. O Luiz Del Roio, que foi exilado, recolheu esses exemplares durante 34 anos. Uma parte ficou guardada em uma fundação italiana até que o Brasil se democratizasse”, relembra.

Na seção dos clandestinos estão publicações das principais tendências da esquerda que atuaram durante a ditadura militar, como a Ação Libertadora Nacional (ALN), de Carlos Marighella, que editou O Guerrilheiro, e a VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares), de Carlos Lamarca, que produzia o Palmares. Aparecem nesse bloco jornais dos PCs (PCB e PCdoB), de organizações trotskistas e de grupos ligados à Igreja Católica.

O bloco dos alternativos é mais heterogêneo: traz desde capas de jornais do movimento operário, estudantil (O Movimento), da imprensa satírica (O Pasquim, Pif-Paf), experimentos literários, além de publicações ligadas à causa ambiental, gay e negra.

Precursores

Já a parte dos precursores reúne experiências antigas, como o Correio Braziliense – que era editado em Londres, já que a corte portuguesa proibia a produção no Brasil –, além de outras publicações pouco conhecidas, como o Jornal Subiroff.

“Esse foi um achado!”, diz Carvalho. “O Subiroff era escrito em 1920 pelo filho do Nestor Pestana (Nereu Rangel Pestana), que na época era diretor do Estadão. Ele (o filho) inventou um personagem, um agente soviético em terras brasileiras. O jornal trazia as reportagens do ponto de vista desse espião.”

Outro caso que o jornalista gosta de destacar é o de Carlos Azevedo, que ajudava a fazer o jornal do PCdoB. “Em 1966 ele trabalhava na revista Realidade. Depois do expediente, ele saía da revista e caía na clandestinidade”, afirma o jornalista.


Fonte: Uol Notícias

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

BRAZIL COM Z

Dia: 21/10 (SEXTA)
Hora: 19:00
Local: Feira de Arte e Cultura, Praça Dom Eduardo

A #RotaGlitter continua! No dia 21 de outubro, o espetáculo Brazil com Z, da cia. Rogê, será apresentado na tradicional Feira de Arte e Cultura da Praça Dom Eduardo. A apresentação acontecerá a partir das 19h. Não é a primeira vez que as drags vão para Rua, para quem não se lembra, em agosto elas invadiram o mercadão levando glitter e mensagens de tolerância!

A apresentação do espetáculo integra a II Semana dos Trabalhadores em Educação de Uberaba, pelos Sindicatos que representam educadores e profissionais ligados à Educação.

Informações:
http://www.canalglitter.blogspot.com/
http://megalozebu.com.br/

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Doce Sopro faz Recital amanhã em Uberaba

O Grupo de Flauta Doce Sopro Som se apresenta no projeto Recital Após a Missa, nesta sexta-feira, 21, a partir das 19h45, no MAS (Museu de Arte Sacra), na igreja Santa Rita, na pç. Manoel Terra, Centro. Do repertório constam oito músicas, entre elas “Anunciação”, de Alceu Valença, e “ Let It Be”, de John Lenon e Paul McCartney. O Sopro Som é integrado por professores e alunos de flauta doce do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi.


O repertório abrange obras eruditas e populares, interpretadas a três, quatro e cinco vozes, explorando diferentes naipes da flauta doce: sopranino, soprano, contralto, tenor e baixo, acompanhada de piano e percussão. O conjunto realiza apresentações em eventos promovidos no conservatório em escolas, asilos e hospitais.


O projeto Recital Após a Missa ocorre, mensalmente, no dia 21 ou 22, depois da celebração em louvor à Santa Rita de Cássia, rezada por padre da paróquia de São Domingos. A data comemorativa a ela é o de seu nascimento em 22 de maio de 1457, em Roccaporena, próximo à cidade de Cássia, na Úmbria, região central da Itália. Ela foi canonizada em 1900. O Recital Após a Missa é coordenado pelo diretor do MAS, Hélio Ademir Siqueira.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Palestra do Ricardo Antunes (UNICAMP) na UFTM

No dia 13/10/11, quinta-feira, às 19:00h, no auditório A do CEA, o Prof. Ricardo Antunes, Unicamp, dará uma palestra - AS NOVAS RELAÇÕES DE TRABALHO E AS LUTAS SOCIAIS HOJE - e lançará o seu mais recente livro: O CONTINENTE DO LABOR.


É uma realização do DFICS, NIEPHES e PET Ciências Sociais e da Natureza.

A presença de vocês será uma grande honra e um prazer para nós. Solicitamos a cada um que nos ajude na divulgação. Segue em anexo o cartaz para divulgação nas suas listas de e-mails e para informar alunos e amigos.


Um grande abraço,


Prof. Dr. Fábio César da Fonseca

Departamento de Filosofia e Ciências Sociais - (34) 3318-5967

PET Ciências Sociais e da Natureza

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Memória Viva restaura antigas atas da Câmara

O trabalho, resultado de parceria entre a CMU e o Arquivo Público, integra o projeto Memória Viva de iniciativa do Presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Dutra. Além de valorizar a história, preserva o material que constitui importante fonte de pesquisa a historiadores e universidades.

Nove volumes de atas legislativas foram restaurados através de parceria entre a CMU e o Arquivo Público. Os documentos trazem circunstâncias distintas e episódios singulares que aconteceram no período de maio de 1953 e janeiro de 1993, na cidade de Uberaba, e que passaram pela Câmara Municipal. A ação integra o projeto de Preservação da História e Memória Viva do Município, de iniciativa do Presidente do Legislativo, vereador Luiz Dutra (PDT).

A diretora do Arquivo Público, Lélia Bruno, agradeceu a Dutra pela parceria que resultou na preservação do material que constitui importante fonte de pesquisa a historiadores e universidades. "Esse foram os primeiros volumes de muitos que ainda serão restaurados", comemorou os resultados. Para a pesquisadora Cíntia Gomide, é um trabalho que busca reconhecer àqueles que, apesar de não serem tão conhecidos, exerceram papel fundamental na história de Uberaba.

As atas constituem o acervo do Arquivo Público e lá permanecerão para consulta. Em breve, as atas serão digitalizadas e comporão as estantes virtuais do site Memória Viva - Câmara Municipal de Uberaba, fruto de parceria entre a CMU e a Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Segundo a diretora do departamento de Documentação e Pesquisa da Câmara Municipal, Sumayra de Oliveira, que coordenada a parceria, a disponibilização documental no site tem como objetivo ampliar e facilitar a promoção do conhecimento a historiadores e universidades.

Curiosidades - Os exemplares recontam importantes momentos de Uberaba. A ata de 1961, por exemplo, traz registro de paralisação da empresa Líder da época, causando prejuízos para o município e, principalmente, para os usuários do transporte coletivo. Como forma de conter a manifestação, em 07 de julho do mesmo ano, a Câmara decretou estado de emergência e ainda solicitou a intervenção federal no caso. O curioso é que fato semelhante aconteceu na década de 80 envolvendo a mesma empresa.  Como esse, inúmeros fatos que marcaram a história do Legislativo estão vivos nas renovadas páginas das atas. "São momentos marcantes na história de Uberaba que não podem ser esquecidos. A restauração dessas atas é uma forma de fazer nossa parte no processo de eternização da memória do município", salientou o presidente.  

Site - Ainda em fase de construção, o site traz informações sobre atas, legislaturas e ex-vereadores, leis orgânicas, documentos especiais e espaço para o Projeto Histórias de Vida. Importante instrumento de informação e pesquisa da história de Uberaba, está previsto para ser lançado dia 06 de dezembro, na própria universidade, durante o seminário de apresentação à comunidade do resultado do convênio entre a Câmara e a UFTM.