quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Clube da Esquina vira história em quadrinhos


Na década de 1960, alguns garotos se encontram de modo quase improvisado e diário na esquina das ruas Divinópolis e Paraisópolis, no bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte. O tempo passa e eles se tornam artistas famosos e reconhecidos na música brasileira. Todos os identificam como membros do Clube da Esquina, expressão utilizada por Dona Maricota, mãe de dois dos garotos, Marcio e Lô Borges, que adota praticamente outro menino, Milton Nascimento, apelidado Bituca.



Outros participantes importantes são Beto Guedes, Fernando Brant, Wagner Tiso, Toninho Horta e Ronaldo Bastos. Todos eles acabam de virar personagens do livro em quadrinhos “Histórias do Clube da Esquina”, que conta com roteiro e desenhos de Lauro Ferreira e arte-final e cores de Omar Viñole.

A história em quadrinhos adota o modelo dos documentários em que os próprios participantes do movimento relatam o que aconteceu de modo intercalado com registros históricos. Outra característica interessante dessa produção é que, logo no início, ela posiciona aqueles artistas mineiros na linha evolutiva da música brasileira, contextualizando o que ocorria na mesma época.

Ou seja, os festivais de música popular da televisão, a Tropicália e a Jovem Guarda. Nesse sentido, um quadrinho em específico chama a atenção: uma repórter aparece perguntando a Milton Nascimento o que é mais importante para ele na vida e escutando como resposta: as pessoas e a música.

Claro que não dá para contar toda a história de um movimento musical e do trabalho artístico de tanta gente talentosa em menos de 50 páginas – menos do que uma revista em quadrinhos convencional. Por isso, os autores selecionaram algumas canções e alguns discos que consideravam mais representativos daquele momento.

Assim aparece a história da canção “Travessia”, que lançou Milton Nascimento; “Trem Azul”, de Lô Borges; “Para Lennon e McCartney”, de Lô Borges, Marcio Borges e Fernando Brant; e “Manoel, o Audaz”, de Toninho Horta e Fernando Brant, inspirado no jipe Land Rover 1951 do segundo compositor.

Não são esquecidos os discos “Clube da Esquina" 1 e 2, “Milagre dos Peixes”, que enfrentou muitos problemas com a censura federal; e “Txai”, baseado no contato de Milton Nascimento com os índios Ashaninka. Também merece registro a presença das saborosas histórias de Dona Olympia Angélica de Almeida Cotta, que ficou conhecida como “a primeira hippie do Brasil”, por sempre andar pelas ruas de Ouro Preto usando roupas coloridas, chapéus com muitas flores e portando um cajado com balas e bombons. E a visita do então presidente Juscelino Kubitscheck a Belo Horizonte, quando ele se encontrou com os jovens músicos.

No final, a história retorna para o presente, marcando o reencontro de todos os amigos do Clube da Esquina, cantando felizes “Clube da Esquina nº 2”: “Por que se chamava moço / Também se chamava estrada/ Viagem de ventania/ Nem lembra se olhou prá trás / Ao primeiro passo, o aço, o aço / Por que se chamavam homens/ Também se chamavam sonhos/ E sonhos não envelhecem”.

Portanto, confirmando a premissa do último verso da canção, “Histórias do Clube da Esquina” não se pretende uma obra definitiva sobre o movimento musical mineiro e justamente por isso é extremamente prazeroso, divertido e prende o leitor do primeiro ao último quadrinho.

Fonte: Rede Brasil Atual

Na data de hoje, em 1933, Bertolt Brecht fugia da Alemanha.


Bertolt Brecht fugiu da Alemanha nazista em 28 de fevereiro de 1933, um dia após o incêndio do Reichstag. O escritor sabia que logo começaria a caça à esquerda e aos opositores do regime de Hitler.


Brecht
No dia em que o escritor Bertolt Brecht deixou a Alemanha, em 28 de fevereiro de 1933, a notícia nem sequer saiu no jornal. Ele não anunciara que iria deixar o país, e o tema das manchetes do dia era outro: o incêndio do Reichstag, na véspera.

A polícia responsabilizou a esquerda e logo apresentou o suposto autor do incêndio. Os nazistas aproveitaram para prender um grande número de sindicalistas, socialistas e comunistas, que foram enviados aos primeiros campos de concentração, improvisados para esse fim.

Visionário que conhecia o perigo

Como nenhum outro intelectual, Brecht previra a catástrofe iminente, o que aconteceria se os nazistas assumissem o poder na Alemanha. Sua Lied vom SA-Mann (Canção do homem da SA) deixa transparecer toda a sua clarividência.

Nela, ele descreve como a depressão no final da década de 1920, as batalhas de rua e as eternas crises de governo culminariam nas barbáries do Terceiro Reich. "Dormi de fome, com o estômago roncando. Pegando no sono ouvi gritarem: 'Acorda Alemanha'. E vi muitos marcharem gritando 'Vamos ao Terceiro Reich!' Eu não tinha nada a perder e fui com eles, sem me importar para onde."

Em 1933, aconteceu o que se temia e Adolf Hitler tornou-se chanceler do Reich. No mais tardar, após a tenebrosa marcha com tochas pelo Portão de Brandemburgo, em Berlim, em honra ao novo detentor do poder, ficou claro que a sombria intuição de Brecht logo se transformaria em realidade.

O êxodo dos intelectuais

Não demorou muito e começou o êxodo dos intelectuais alemães. Nem todos, porém, quiseram ou puderam fugir a tempo, como o detentor do Prêmio Nobel da Paz Carl von Ossietzky, que foi levado a um campo de concentração e morreu em consequência das torturas.

Outros, como o escritor Erich Kästner, se retiraram da vida pública e assim sobreviveram ao "reino de mil anos" que Hitler pretendia instituir. A história, contudo, se lembra mais dos que quiseram conseguiram escapar: Albert Einstein, os escritores Lion Feuchtwanger, Thomas Mann, Erich Maria Remarque, os músicos Kleiber, Busch, Klemperer e muitos outros.

Brecht foi um dos primeiros a deixar o país, por saber o que o aguardava quando o partido de Hitler começasse a colocar em prática suas ameaças. Num poema em prosa, ele expôs as razões de sua perseguição: "Quando me forçaram ao exílio, os jornais publicaram que foi por uma poesia minha, ridicularizando o soldado da Primeira Guerra Mundial. Agora, quando eles preparam uma nova guerra mundial, decididos a superar as monstruosidades da última, é quando se persegue ou se mata gente como eu, por delatar os seus atentados".

A lenda do soldado morto

A poesia a que Brecht se refere, que teria inspirado o ódio dos nazistas, é Legende vom toten Soldaten (Lenda do soldado morto), um poema pacifista que se refere à Primeira Guerra Mundial.

Como faltassem soldados ao exército do Império Alemão, decidiu-se desenterrar um soldado que morrera, vesti-lo com um novo uniforme e arranjá-lo para que passasse pelo exame médico e fosse mandado de volta ao front. Sob os aplausos do clero e dos representantes do grande capital, o defunto foi enviado ao campo de batalha para morrer como herói.

Os nazistas não odiavam apenas o poeta Bertolt Brecht, odiavam também o seu pacifismo e o fato de ele ser comunista. Na sua Balada da árvore e dos galhos, de 1931, Brecht antecipou o comportamento assassino das hordas nazistas, no dia em que pudessem agir livremente.

Fuga para a Dinamarca

Com sua visão, Brecht decidiu fugir assim que soube do incêndio do prédio do Reichstag. Um dia depois, na manhã de 28 de fevereiro de 1933, deixava Berlim em direção a Praga. Da capital da então Tchecoslováquia foi a Viena, de lá até a Suíça e a seguir para a Dinamarca, onde se radicou por alguns anos.

O exílio o levaria ainda à Finlândia e aos Estados Unidos. O autor de A Ópera dos três vinténs e de outras obras inesquecíveis conseguiu escapar de Berlim antes de começar a primeira onda de prisões do novo regime, que afundaria a Alemanha e o mundo numa guerra sem precedentes.


Por Dirk Kaufmann (ns)
 Fonte: DEutsche Welle

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Militante e filiados atende a convocação do PCdoB


O Comitê Municipal de Uberaba realizou no ultimo sábado (25) Seminário de Planejamento para o ano de 2012, com mais de 40 participantes.

Na pauta, foi apresentado o Projeto de Comemoração dos 90 anos do PCdoB. Em Uberaba as comemorações serão realizadas dia 22 de março, no plenário da Câmara Municipal, com homenagem aos antigos comunistas da cidade e no dia 25, data oficial do aniversário do Partido, com atividades na feira da Abadia.

No Rio de Janeiro acontecerá uma festa com programação cultural e política no dia 24 de março, na Casa VIVO RIO. E em Brasília, ocorrerá Sessão Especial do Congresso Nacional em homenagem ao Partido Comunista do Brasil, no dia 26 de março, às 17 horas.

Ainda ocorrerá “Exposição Iconográfica: 90 anos de história do PCdoB” em Brasília, Câmara dos Deputados, de 15 a 31 de março. E Programa de TV e Rádio alusivo aos 90 anos do PCdoB, dia 29 de março, às 20:30 horas, duração de 10 minutos.

Sobre o planejamento de gestão, amplamente discutido pela militância, ficaram definidas as principais ações por Secretarias, para o ano de 2012, e um texto sobre a conjuntura local que ressalta - “O PCdoB está bem situado com o Novo Projeto Municipal de Desenvolvimento (NPMD), aprovado em sua ultima conferência local em 2011, onde elegemos uma mulher presidente, que é orgânica no Partido e mantém grande independência de negociação junto ao governo municipal. O Partido está preparado para um intenso esforço de politização do debate na sociedade, para confrontar projetos para Uberaba.  

Por ultimo, o Secretário de Organização Wellington Felix (Zuzu), apresentou uma pré-lista com 21 nomes de candidatos a vereadores, entre lideranças sindicais e de bairro. O atual vereador Lourival dos Santos ressaltou que campanha é em parte, o próprio esforço do candidato em garantir sua votação, e do coletivo partidário em se empenhar, lembrando que no PCdoB, diferente de outros partidos, há uma grande unidade nas campanhas eleitorais. 

Cancelada Audiência Pública

A Audiência Pública- "A produção de cana de açúcar e sua realidade" - 
que seria realizada amanhã na Câmara Municipal, mantém-se cancelada.

Convite Audiência Pública Uberaba: A produção de cana de açúcar e sua realidade


Data: 28 de fevereiro de 2012
Horário: 19h00min
Local: Plenário da Câmara Municipal de Uberaba
Rua Cel. Manoel Borges, 41, Centro    

PARTICIPAÇÃO:
Autoridades Ambientais
Entidades Classistas
Público em Geral


Iniciativa
Ver. José Severino (PT)
Ver. João Gilberto Rippossati (PSDB)
Ver. Lourival dos Santos (PCdoB)
 



Realização: Câmara Municipal de Uberaba

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Trailer do Filme "Samba Riachão"

Trailer do filme Samba Riachão com a presença de varias celebridades da musica baiana

Georges Gastaud: Badiou e Zizek - Portal Vermelho

Eles nunca me convenceram. Muito menos os grandes estudiosos marxistas.

Como fica claro nesse artigo publicado no Vermelho: "...Nem em Badiou nem em Zizek... estas duas versões do neocomunismo, provindas na verdade do socialismo utópico, e tendendo mesmo – com toda a sinceridade – a maquiar de vermelho o altermundialismo e o altercapitalismo, ou seja, o reformismo sem reformas típico da nossa época contrarrevolucionária..."



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Uberaba tem carnaval?


Ouvi essa pergunta de um membro da alta sociedade uberabense. Que ainda completou – “Sempre me perguntam lá fora, se Uberaba tem carnaval, digo que não!”

Cairia bem o título do texto da Manuela Colla, de Porto Alegre - “Quem tem medo de Carnaval?” para o objetivo desta reflexão, sobre a festa na terra do Joubert de Carvalho.

Uberaba tem sim carnaval! E desde 1880. Enquanto esse membro da alta sociedade não sabe ou fingi não saber, quem ficou por aqui, se divertiu ao som das Marchinhas tocadas pelo Chorocultura no Mercado Municipal.

E apesar das mordidas e assopros para a realização da festa popular, teve, ainda que esvaziado, os tradicionais desfiles das Escolas de Samba e show de sertanejo. (sinceramente não sei de que foi à ideia, do sertanejo).

Depois da mordida pelos “erros” administrativos e os assopros pela mudança de planos na ultima hora, enfim o carnaval foi divulgado, infelizmente na semana do próprio carnaval. Problemas de divulgação, óbvio! E admitidas pela própria Prefeitura.

Mas quem mordeu mesmo, foi o Juiz titular da Vara da Infância e Juventude de Uberaba, Nilson de Pádua Ribeiro Júnior, que proibiu a entrada de menores de 12 anos acompanhados de responsáveis. Resultado, carnaval às moscas.

E ainda, as blits da Polícia Militar incidindo em documentos de contribuição de imposto. Dos poucos que foram até folia no Centro Park, ficaram sem seus veículos e sambarão literalmente. Mas, é bom saber que a Policia Militar está atenta, e espero que continue assim, em eventos como o Axé Uberaba, por exemplo.

Mas, no final o Juiz Nilson de Pádua, assoprou e liberou a entrada de menores acompanhados. Pena que foi só no fim da folia! E com sopro do Pádua, as escolas do primeiro grupo desfilaram lindas, e com suas crianças!

Ai o leitor pergunta. Afinal, o que tem de bom no carnaval da Princesa do Sertão? As marchinhas! Mas, em primeiríssimo lugar às Escolas de Samba, com os baluartes da nossa cultura popular, e desde 1880!

Grande Tia Luzia! Gente que faz compreender quem é o uberabense de fato, que coloca sentido à nossa identidade!

Realmente não sei quem mordeu mais a festa do povo! Tenho cá minhas desconfianças!  Muitas coincidências estranhas! Então fica a dica a lá da Manoella Cola, de Porto Alegre, que envio aos donos das mordidas e dos assopros: “Duas coisas são sagradas ao povo - fé e carnaval. Não tentem, então, esconder fatos. Não brinquem com as pessoas. Tomem coragem e tomem partido. Tenham lado. Todo uberabense (grifo meu) tem postura, tem coragem e tem, acima de tudo, a história recente em sua memória.” Eleição Ta Hi*!

E outra dica aos parceiros da política: eventos de corte popular jamais podem e poderão ser tratados como brigas políticas partidárias ou individuais. O preço é caro para quem faz isso. E a nossa memória “recente” (blogs, facebook e twitter) Ta Hi*!

*Homenagem ao Joubert de Carvalho.

Com uma porção de amor pra te encantar

Minha Mãe me contou que o Meneguete da família dos Mapoabas, me via lá bairro (mercês) e dizia, essa menina é Rosa de Ouro. 

Parafraseando a linda Manuella Bezerra de Melo: Quero dividir que este foi um dos melhores e mais importantes carnavais da minha vida. Realizei um sonho de sair na Rosa de Ouro. “Nunca passei um carnaval tão bem, com tanta alegria, energia, equilíbrio e inteligência emocional”... Sambei, “descansei, trabalhei, cantei, me permiti, ergui os braços, elevei a alma, tudo na hora, no tempo certo.”

E bom ser melhor a cada dia! E para isso não precisa falar mal de ninguém, de fazer fofoca, intriga ou pisar nas pessoas. O segredo? Amor pela vida! Viva a benção da vida,

To Feliz demais! E ".. Com uma porção de amor pra te encantar, Não acredito em bruxaria, mas bruxa existe e eu vou te mostrar..." Viva a Rosa de Ouro.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

História do Carnaval em Uberaba




   [1]Uberaba já teve magníficos e esplêndidos carnavais de rua. Como todas as cidades brasileiras, conheceu essa festa, nos fins do século retrasado e nos primeiros anos do passado.  Foi época dos “limões de cheiro”, de muitas cores e formatos, que eram atirados pelas janelas ou aos que passavam pelas ruas. Época das “bisnagas” feitas de latas ou borracha, dos esguichos feitos com gomos de bambus
.
Muitas vezes, os que passavam sob uma janela recebiam verdadeiros banhos de baldes de água, farinha de trigo, borra de café, polvilho, fubá...  Os foliões isolados entravam pelas casas, praticando tropelias e assustando os moradores.

Só mais tarde, no fim do século, apareceram os confetes e serpentinas.  Surgiu, em primeiro lugar, o “Clube dos filhos de Jó”, com Rafael Vannucci, Candinho Pintor, Terêncio Pereira, Antoninho do Porto, Horácio Luís França, Janjão Pinheiro e outros. As “críticas” (muitas vezes ferinas, satíricas), que apresentava, muito bem escritas e representadas, despertavam bom humor e alegria no povo.

Em 1885, O Major João Gonçalves Teodoro de Oliveira fundou o “Clube dos Valetes de Ouro”, que por muito tempo, foi o mais importante da cidade. Havia lindos desfiles, passeatas, flores atiradas às damas nas janelas.
E depois vieram os carros carnavalescos, puxados por bois ou em carroças. Os Uberabenses os aplaudiam, com o mais vibrante entusiasmo. Muitos desses carros eram, realmente, lindos, apresentando ricas alegorias.
Seus pintores e cenógrafos foram Joaquim Gasparino, Candinho Pintor, Ernesto Pella, Messias Montezuma, Horácio Luis França, Terêncio Pereira,  Vitor Ornelas, Antônio e Lino Gasparino, Mauro Savastano, Manuel Dedé, os irmãos Paim, José Gulacci, Rodolfo Mosella, Francisco Andrande, Luís Basaga Júnior.

As músicas tinham versos de Artur Lobo, Gaspar da Silva (depois, Visconde de São Boaventura, em Portugual), Desidério Ferreira de Melo, Dr. Egídio de Sousa Andrade, Moisés Santana, Antônio Cesário da Silva e Oliveira, Dr. João Caetano de Sousa e Silva, Professor César Ribeiro, Manuel Filipe de Sousa, José Avelino, Atanásio Saltão, Artur Costa, Lafaite de Toledo, Cândido de Cássia e outros.

 Com o ocorrer dos tempos muitos clubes foram surgindo e desaparecendo: Filhos de Plutão, Filhos das trevas, Sargento do Diabo, Pedro sem, Clubes dos Alegres, Clube dos Fenianos, Fantoches Carnavalescos, Clube Democráticos, Cuspo Grosso, Tenentes do Diabo, Marajas da Folia, Grupo Regional São Benedito, Bambas do Fabrício, etc.

Dos blocos que permaneceram após da década de 30, segundo do Professor Antônio Carlos Marques[2],  são: Os felinos que saiam do Bairro São Benedito; O Pedro Cem, reunindo-se na praça da Gameleira; a Banda Maria Giriza, mais próxima do espírito carnavalesco em sua origem, com o ritmo único dos instrumentos em desusos – violões sem cordas, cornetas desafinadas, sanfonas velhas, além da percussão com bumbos e frigideiras e pinicos.

E ainda segundo Marques, a saída do “Cordão dos Roceiros”, lá na esquina do “Enjeitei”, acompanhada pela passeata de automóveis enfeitados, conduzindo os foliões, saudando com alegria e brincadeiras os transeuntes.

E desta forma, dos blocos carnavalescos surgem as escolas de samba nos bairros, cada qual com a sua história, construindo o carnaval uberabense. Uma das escolas mais antigas de Uberaba, segundo o professor Carlos Marques é a Associação Carnavalesca Bambas do Fabrício (1935), que teve como criado o Senhor Nelson Garcia, mas conhecido como Tio Nelson.

Do outro lado da cidade, nascia a Escola de Samba Grêmio Clube Recreativo e Cultural Uberabense, seu Fundador e diretor foi Senhor Osvaldo Francisco Leal e após o carnaval na Avenida Leopoldino de Oliveira, o clube abrigava os foliões em sua sede e era o único clube que permitia a entrada de negros.

Marques escreve que o Grêmio, localizado no bairro São Benedito, foi elevado a condição de Escola de Samba em 1969, e dificilmente perdia o título de campeã, por essa ocasião, contava com especial colaboração do decorador  e arquiteto  Demilton Dib.

Nas décadas de 70 e 80 outras escolas foram surgindo: Império da Abadia, Brasil Moreno, Unidos da Vila, Unidos da Boa Vista, Acadêmicos da Santa Maria, Rosa de Ouro, Preciosa do Leblon, bem como os blocos dos Palhaços, dos Universitários e Maria Ximbica. E em 1983, O Barracão do Samba localizado à Rua Manoel Borges, onde hoje é a loja têxtil, deu origem à Associação das Escolas de Samba, permanecendo ali até 1985.

Entre tantos orgulhos que o Uberabense há de ter do carnaval local, está o Senhor Joubert de Carvalho, médico é compositor, que entre tantas composições escreveu  a famosa marchinha Ta-hi, cantada por Carmem Miranda e amplamente ouvida por foliões de todo o Brasil:

Despeço-me com Ta-hi:

“Tahi
Eu fiz tudo
Pra você gostar de mim
Oh! Meu bem
Faz assim comigo não
Você tem você tem
Que me dar seu coração.”




[1] Transcrevo o que José Mendonça escreveu em 1974, no seu livro “Historia de Uberaba, sobre o carnaval da cidade.
[2] Transcrição do artigo produzido pelo Antônio Carlos Marques e publicado em fevereiro de 1990.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Estou no momento "Woody Allen" da vida...

....Eu  é a política Municipal: 

"Mais do que em qualquer outra época, a humanidade está numa encruzilhada. Um caminho leva ao desespero absoluto. O outro, à total extinção. Vamos rezar para que tenhamos a sabedoria de saber escolher." Woody Allen

PT e PSD articulam aliança em São Paulo


O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, começou a trabalhar para viabilizar uma possível aliança com o PSD do prefeito Gilberto Kassab. Segundo informação publicada no jornal Folha de São Paulo, o ex-ministro da Educação teria citado o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles como um possível vice para sua chapa.

Em janeiro, Kassab propôs ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma aliança.Haddad tem ressalvas contra o vice sugerido por Kassab, seu secretário de Educação, Alexandre Schneider. Já a presença de Meirelles na chapa agregaria "novas forças" à coligação por ele ter integrado o governo Lula.

Os petistas contrários ao acordo, no entanto, ainda não se deram por vencidos. A resistência ao prefeito reuniu o antigo grupo da senadora Marta Suplicy,principal voz até agora a tornar pública sua contrariedade.

PSDB

A aproximação entre Kassab e o PT pode ter influenciado o ex-governador José Serra a voltar atrás em sua decisão de não concorrer à Prefeitura de São Paulo.Segundo a Folha — depois de ter afirmado publicamente que não iria disputar as eleições — o candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2002 e 2010 iniciou negociações com o governador Geraldo Alckmin para entrar na disputa.

Serra,que ainda alimenta o sonho de concorrer à Presidência pela terceira vez,conversou com Alckmin na semana passada e disse que estava reconsiderando a decisão. O encarregado de levar ao Palácio dos Bandeirantes as condições de Serra para entrar na disputa foi o ex-vice-governador Alberto Goldman.

Entre as exigência de Serra está a interferência do governador para "aparar as arestas" internas com os quatro pré-candidatos tucanos inscritos para a prévia do partido, marcada para 4 de março.

O maior entrave a um consenso pela candidatura de Serra são os quatro pré-candidatos tucanos — Andrea Matarazzo, Bruno Covas, José Aníbal e Ricardo Trípoli. Desses, os mais resistentes a abrir mão das prévias seriam Aníbal e Trípoli.

Quer, ainda, garantia de que Alckmin atuará para costurar um arco de alianças que dê suporte à sua postulação. Na quinta-feira (16), por exemplo, será anunciada a entrada do PDT no governo do estado.

O deputado Paulinho da Força, presidente da legenda paulista e que tem se apresentado como pré-candidato, passou a não descartar apoio ao PSDB no primeiro turno. O PSB também negocia com os tucanos, a partir da promessa de apoio do PSDB ao seu candidato em Campinas, Jonas Donizette.

Netinho de Paula

Em pesquisa Datafolha divulgada em dezembro de 2011 o pré-candidato pelo PCdoB, Netinho de Paula (PCdoB) e ex-deputado Celso Russomano (PRB) ficaram tecnicamente empatados na preferência dos paulistanos para a Prefeitura de São Paulo. Os dados da última pesquisa apontam que eles lideram em quatro dos cinco cenários avaliados. O comunista varia sempre entre 13% e 15% das intenções de voto e tem grande aceitação no eleitorado mais jovem, atingindo 20% entre aqueles que têm entre 16 e 24 anos.

Fonte: Redação do Vermelho.

Seis projetos estão com inscrições abertas no Instituto Agronelli


O Instituto Agronelli de Desenvolvimento Social – IADES abriu na terça-feira, 7, as inscrições para seis editais com vagas para estágios, voluntariado e participação nos projetos socioculturais e ambientais 2012. As ações dos projetos são realizadas em parceria com diversas instituições de ensino, públicas, empresas privadas e institutos sociais da cidade.
O edital com vagas para estagiários e voluntariado abrangem os cursos de Comunicação, Ciências Sociais, Ambiental, Administração, Educação e Secretariado Executivo. As informações sobre processo de seleção, funções e atividades, horas de estágio por semana, entre outros, podem ser conferidas no próprio edital: 01/2012 – Estágio.
No dia 28 de fevereiro, o Instituto Agronelli fará no auditório da FIEMG, em Uberaba uma apresentação de todos os projetos com o intuito de tirar dúvidas. Professores, gestores institucionais, parceiros e imprensa estão convidados para conhecer de perto as ações que serão desenvolvidas.
O período para inscrições nos editais é de 7 de fevereiro a 10 de março.

Os interessados podem acessar o site http://www.institutoagronelli.org.br/informativo.asp 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Em Minas, mais de 360 mil crianças e adolescentes não estão na escola



Relatório divulgado pelo movimento Todos pela Educação, estima que 3,8 milhões de crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos estão fora da escola. Em Minas Gerais, apesar do número de estudantes ter crescido 8% entre 2000 e 2010, mais de 360 mil ainda não estão nas salas de aula. O estado só perde em número para São Paulo, que tem 607 mil meninos e meninas nessa situação. Com o maior número de adolescentes em idade escolar (17,3 milhões), a região Sudeste do País é a que registra a maior quantidade absoluta de crianças e adolescentes fora da escola (1,27 milhão). O movimento acompanha indicadores com base em cinco metas a serem cumpridas até 2022 – ano do bicentenário da Independência do Brasil. Até lá, um dos objetivos é chegar a 98% dos alunos matriculados. O balanço atual é o quarto relatório de monitoramento das metas propostas.

(Hoje em Dia, p. 24 – Raquel Ramos, 08/02/2012; Estado de Minas, p. 25 – Glória Tupinambás; O Tempo, p. 13 – Paula Coura, 08/02/2012)

Fundação Cultural divulga programação do Carnaval em Uberaba.


DATA
HORA
EVENTO
LOCAL
11/02
21h00
Eleição do Rei Momo e Rainha do Carnaval
Premiação de melhor Samba Enredo

Clube Sírio Libanês
17/02
20h00
Feira de Arte e Cultura – Grito de Carnaval
Entrega das chaves da cidade ao Rei e Rainha

Praça Dom Eduardo
18/02
20h30
Abertura oficial do Carnaval no Centro Park
Apresentação do Rei e da Rainha
Desfile de Blocos – Maria Giriza, Cães e Gatos, Capoeira Águia Branca, Estrela da Vitória, Vai Vai 2.000
Baile com Banda Nova Onda - axé


Centro Park
19/02
11h00
Domingo Cultural - Carnaval de Marchinhas com Choro Cultura
Mercado Municipal
19/02
21h00
Desfile das Escolas de Samba do 2° Grupo – Estação Primeira de Primavera, Escola de Samba Preciosa do Leblon.
Baile com Banda Bom Batuk -axé


Centro Park
20/02
21h00
Baile com:
Banda Inimigos do Patrão – axé
Guilherme Lopez – sertanejo universitário


Centro Park
21/02
21h00
Desfile das Escolas de Samba do 1° Grupo – 
Acadêmicos de Santa Maria; Bambas do Fabrício; Rosas de Ouro
Baile com Herbert e Banda Axé Bahia


Centro Park

A família Macedo, guardiã do carnaval popular

Do site do Nassif


Semana do carnaval. Uma homenagem à família criadora do trio elétrico, da guitarra baiana e que faz o verdadeiro carnaval popular, sem cordas, sem estratificação. A família Macedo.

André Macedo: voz;
Armandinho: guitarra baiana e voz;
Aroldo Macedo: guitarra baiana;
Betinho Macedo: baixo;
Daniel Macedo: percussão;
Pinguim: bateria;
Junior: teclado;

Esquenta para o Carnaval


Tempo bom na semana do esquenta. E essa história que o Brasil só começa a funcionar depois do carnaval? Sinceramente,  gente que ainda não superou aquela fase “ vergonha de ser brasileiro”, dos governos anteriores.



Só uma pequena porção dos acontecimentos de hoje, na terra democrática do verde amarelo.  O Brasil vai bem! E é bom demais fazer parte dessa história. Aproveito para dizer, que saudade que me deu de Recife. Mande notícias meu povo... Por ai carnaval já começou faz tempo. Sei não! E só uma mochila e uma re-marcação! Beijão no coração. Em ritmo de folia!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Aviso aos navegantes


Do blog "Entre Aspas"

Enredo dos Bambas do Fabrício, letra de Bruninho Silva e Melodia e Harmonia de Weslei Bento, Ivo dos Santos e Natinho.


Um conto um sonho uma estoria na avenida...

Vem meu amor chega pra cá.
Que o meu samba vai te encantar
Viver a fantasia e um mundo de emoção
Com os Bambas na avenida ser criança vem brincar.

Era uma vez no país de faz de conta
No castelo de cristal o baile era um carnaval

Na floresta encantada as fadas sambavam
Duendes tocavam mil e uma noites sem perder
A sinfonia magistral de um sonho celestial.

Viajei nessa magia pra viver essa emoção
É preciso ser criança outra vez
Pra esse conto encantar seu coração.

Vem meu amor chega pra cá.
Que o meu samba vai te encantar
Viver a fantasia e um mundo de emoção
Com os Bambas na avenida ser criança vem brincar

Num mar de emoção mergulhei encontrei belas sereias e tritões
Com riquezas alegrias e suspense e assim eram felizes para sempre.
No fogo da paixão as salamandras ascenderam
Amor de Julieta e Romeu
Revivendo um sonho com emoção
Com os bambas encantando corações.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Enredo da Rosa de Ouro (Uberaba), letra e música de Eder (Negão)


Rosa de Ouro vem ai
Com uma porção de amor pra te encantar
Não acreditam em bruxaria
Mas bruxa existe e eu vou te mostrar

Lendas, crenças e magia
Sensualidade, amarração
Vem das ervas a magia
O poder da sedução
O pecado da luxuria
Quanta perseguição
Desejas e temidas
Condenadas pela inquisição

O Canto da sereia encantou
O marinheiro, o pescador
Seduzido por sua doce canção
Foi carregado pras ondas da ilusão

Voa, voa
Pegue carona com a bruxa na vassoura
É noite de lua cheia
Lindo luar aberto que clareia
Um livro aberto cheio de rituais
Hoje eu quero ver
Caldeirão ferver
Abracadabra ninguém vai me segurar
Eu vou pra avenida
Com a fada madrinha
Na minha escola desfilar. 

60 companhias vão ao 53º Encontro de Folias de Reis no domingo


Cerca de 60 companhias participarão do 53º Encontro de Folias de Reis de Uberaba, no próximo domingo 12/02, a partir das 8h30, no Circo do Povo, instalado entre o bairro Boa Vista e o conjunto Morada do Sol, na esquina da r. João Pinheiro com av. Maria Machado dos Santos. Estão inscritos seis grupos de Uberlândia, cinco de Sacramento, dois de Nova Ponte e os demais de Uberaba, onde existem mais de 200 conjuntos de foliões, de acordo com a Federação das Companhias de Folias de Reis do Estado de Minas Gerais, sediada no município.

Informações: Raimundo Antônio Vieira/ Presidente da Federação das Companhias de Folias de Reis do Estado de MG- 3325-3994 – 9989-6699

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Do álbum 'Os Meninos do Rio'

Do site do Nassif

Aluísio Machado, Nelson Sargento e Jair do Cavaquinho aqui inerpretando seus memoráveis sambas MINHA FILOSOFIA - AGONIZA MAS NÃO MORRE - VOU PARTIR.
Album: Os Meninos do Rio.
Ano de 2000.


Processo Seletivo para Cultura em Uberaba

O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CULTURAL DE UBERABA (FCU), no uso de suas atribuições legais, faz saber que realizará seleção de OFICINEIROS e COREÓGRAFO para atuar no PROJETO MULTIRÃO DE CULTURA – ANO 2012, a ser realizado na cidade de Uberaba/MG.

As vagas são:
I – Dança e Folclore; (01 Vaga – Oficineiro)
II – Culinária; (01 Vaga – Oficineiro)
III – Informática; (01 Vaga – Oficineiro)
.IV – Artesanato e Reciclagem; (01 Vaga – Oficineiro)
V – Teatro. (01 Vaga – Oficineiro)

Mais informações clique aqui

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Coisa Feita. João Bosco

Balanço do Fórum Social Temático


A reportagem produzida pela TVT conversou com lideranças dos mais diversos movimentos sociais presentes ao Fórum Social Temático, encerrado neste domingo (29) em Porto Alegre (RS). Eles traçaram um breve balanço do Fórum e as perspectivas das lutas para 2012. O próximo Fórum será em 2014. Entre os destaques está o lançamento do livro "Latifúndio Midiota", de Leonardo Severo. Nesta terça-feira (7), às 18h30 o livro será lançado na Livraria Martins Fontes da Avenida Paulista, em São Paulo.


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Seu Festival de Filmes, do YouTube, abre inscrições para seleção hoje, 2 de fevereiro


Estão abertas de 2 de fevereiro até 31 de março as inscrições para seleção no Seu Festival de Filmes (Your Film Festival, em inglês) - o concurso mundial é uma iniciativa do YouTube. O Seu Festival de Filmes premiará os dez primeiros colocados com uma viagem para assistir à abertura do Festival de Veneza e o grande vencedor receberá US$ 500 mil a para criar uma nova obra, a ser produzida pela Scott Free Films, dos irmãos Tony e Ridley Scott. O concurso não cobra taxa de inscrição. Para participar é preciso inscrever um curta em vídeo de duração máxima de 15 minutos de qualquer formato, estilo ou gênero – pode ser um curta-metragem, um episódio de web-série, um piloto de TV ou algo diferente, contanto que seja uma história. Os 10 finalistas, que ganham a viagem à Itália, serão avaliados por um júri especial. 

Para mais informações consulte o regulamento na página do Seu Festival de Filmes (Your Film Festival).