quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Bem melhor depois dos trinta, com pinga ou sem?

Um dia nem tão atípico, mas cheios de comentários diferentes no mesmo sentido. Dá pra entender? Bem começou assim. Acordei atrasada não fui pra academia, saí no meio da manhã direto pro trabalho, aérea, culpada por não malhar e acordar tarde.

No caminho que faço sempre, tenho à sorte de morar próximo ao centro da cidade e do meu emprego, me para um carro de Brasília e surge uma voz:

- Sempre te encontro, mas ta sempre acompanhada, posso falar com você?

Jurei que era um tipo de calango tarado matinal. Fiquei morrendo de medo e pensando porque nunca mudo o caminho! Bem, era apenas um paquerador que realmente tá sempre nos mesmos lugares que frenquento. Mas de qualquer forma dá uma volta há mais, e mudar o caminho de vez enquando, num faz mal a ninguém.

No meio da tarde foi atender um convite do meu antigo emprego, e assistir a formatura de uma turminha muito especial  que estava concluindo um projeto de educação não-formal. No encontro com os alunos, os meninos ficaram me olhando com cara de espanto e diziam:

- Tia, você mudou tá mais bonita.

Quando cheguei à empresa o comentário era geral:

- Você tá bem melhor mais bonita e jovem!

Uau! Num faz nem três anos que mudei de emprego. Fiquei super contente! O dia fui de elogios que alma agradece. E cheguei a conclusão, to realmente melhor depois dos trinta, mas isto não significa que um dia fui um trapo mulambento, certo? Depende da ótica.

Na caminho de volta pra casa, no mesmo da manhã, o bêbado mais histórico do bairro me pára pergunta do meu filho, e solta um comentário:

- Nunca te achei bonita, mas ultimamente você ta muito gata!


Sumayra se sente bem mais segura depois dos trinta! E agora sabe que beleza é se sentir confiante.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Sistematização das Leis é discutida na CMU

Durante a reunião ordinária de hoje (07/10), foi apresentado aos vereadores, pela Comissão Especial de Sistematização das Leis Municipais, o trabalho que tem sido desenvolvido desde março deste ano. A diretora do departamento de Documentação e Pesquisa, Sumayra Oliveira, juntamente com o representante da empresa Sonner, Rodrigo Caetano, explicou as ações implementadas.


Com foco na gestão em documentação, informação e pesquisa, a comissão levantou a existência de cerca de 17 mil normas municipais e também a carência de informações sobre a localização dos arquivos históricos da Câmara. “Existem documento históricos da Câmara, no Senado Federal, na Câmara dos Deputados, no Governo do Estado, no Arquivo Público e isso não é o correto. A Câmara tem que manter a sua história, que é uma parte da história da cidade. Por isso uma das ações, será uma campanha institucional e convênios para tentar reaver estes documentos”, destacou.

As diretrizes do trabalho, segundo a diretora, passam por leis aplicáveis por meio de amplo trabalho que identifique o que existe e o que realmente é necessário para evitar a confusão de textos. Também é necessário facilitar a consulta às fontes de informação legislativa e padronizar a apresentação dos textos (tem vereador denominado de duas maneiras diferentes: Tony Carlos ou Antônio Carlos, o que dificulta a pesquisa). Outra diretriz é ter acesso à informação, preservar a memória histórica do CMU, democratizar o patrimônio documental e contribuir para uma consciência superior da cidade sobre identidade.

Diretrizes - Cada diretriz terá uma linha de ação desenvolvida pela comissão. No caso das Leis aplicáveis, haverá a compilação das mesmas. Esta compilação tem por objetivo a “reunião e seleção de textos legais, com o fito de ordenar o material, limpando as leis revogadas ou caducas, abreviando e facilitando a consulta às fontes de informação legislativa”.

Em relação à consulta, as leis passarão por uma consolidação. Esta consolidação tem por objetivo reunir os documentos em um único diploma legal, de toda a legislação pertinente a um mesmo assunto. A consolidação evita a confusão de textos contraditórios, elimina os preceitos ultrapassados, revisa e organiza as normas existentes sobre um mesmo assunto e condensa em uma só lei.

No que diz respeito à democratização do patrimônio histórico, a linha de ação focará na gestão da informação e preservação deste material. Será feito um conjunto de procedimentos e operações técnicas referentes à produção, tramitação, uso, avaliação e arquivamento de informações, cujo objetivo será o de preservar os arquivos da CMU e padronizar a gestão junto ao CONARQ (Conselho Nacional de Arquivos).

Metas – De acordo com a diretora Sumayra Oliveira, a comissão está perseguindo algumas metas, sendo elas:

• Para Gestão de Informação e Documentos históricos a meta é a aprovação de Resolução; Tabela de Temporalidade; Campanha Institucional; Reconstituição do acervo histórico da CMU, especialmente das histórias de vida de todos que passaram pelo Legislativo, sobretudo os Vereadores; Resgatar documentos oficiais e não-oficiais, que possam estar nas residências da população (campanha); Salvaguardar a memória da CMU; Realizar convênios com órgãos afins para pesquisa, tendo assim um inventário completo dos documentos históricos, que estão sob a guarda de outras instituições.

• No que tange a consolidação das Leis: o grupo de trabalho da CMU fará a agrupamento de matérias conexas ou afins, em códigos e consolidações integradas por volume, constituindo na totalidade a Consolidação da Legislação Municipal.

• A meta em relação à compilação, também faz parte do grupo de trabalho que está reunindo em único texto todas as alterações ocorridas nas Leis.

O presidente da CMU, vereador Lourival dos Santos revelou que, até o momento, 480 Leis Complementares foram compiladas e outras 1.500 Leis Ordinárias. “Este trabalho é de suma importância para o Legislativo. Já tivemos caos de alterar Lei que estava revogada, mas o sistema existente não mostrava. Vamos dar um salto de eficiência com este novo modelo de gestão”, destacou o vereador explicando que sem qualquer tipo de custo, a CMU tem convênio com o Senado Federal, na implementação deste projeto
 
Fonte: http://www.camarauberaba.mg.gov.br/site/noticias/ler/cod/771

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

CURSO DE HISTÓRIA DE MUSEUS – ARQUIVOS DE ARTE E PODER

Acontecerá nos dias 25, 26, 27 e 28/10/10 das 13 às 17 horas, na Biblioteca Municipal- Sala de Multimeios, o Curso de História de Museus - Arquivos de Arte e Poder, ministrado pela Professora Daniela Viana Leal, mestre em História da Arte pela Unicamp.

O curso é destinado a historiadores, artistas plásticos, professores, colecionadores e estudantes. Nele será discutidas as diferentes facetas dos espaços museológicos, suas motivações e direcionamentos através da análise comparativa de quatro instituições representativas, o Museu do Louvre em Paris (França), o Museu do Prado em Madri (Espanha), o Art Institute em Chigaco (Estados Unidos) e o Museu de Arte de São Paulo (Brasil).

As inscrições serão gratuitas e feitas no Museu de Arte Sacra na Praça Manoel Terra, S/N (Igreja Santa Rita), a partir do dia 13 de outubro das 13 às 17 horas com Hélio Siqueira, Adriana Cristina ou Ozana Durão. O Museu de Arte Sacra oferecerá atestado aos que comparecerem em todas as aulas.