quinta-feira, 31 de maio de 2012

Meus Pais


O único sentimento que tem me importado nos últimos dias, é o desejo de estar cada dia mais e mais perto. Para isso preciso ficar! Porque é de onde posso olhar! Às vezes de longe, às vezes de perto, outras com meus braços em abraços.

E olhando só consigo pensar - Será que serei assim como eles?

Assim... Plena como estrelas no céu, dedicada como cheiro de samambaia molhada, paciente como seca esperando à chuva, educadora como árvore forte, carinhosa com gosto de querer mais, humana, mais que tudo humana.  

Não, não estou pronta! Preciso deles cada dia mais! Não, não estou pronta!   Fica aqui na garganta e enche os olhos d'água.



quinta-feira, 24 de maio de 2012

As eleições em Uberaba reforçam a necessidade da Reforma Política

A cada rodada de conversa sobre as eleições na cidade de Uberaba, vivencio cada vez mais, a necessidade da Reforma Política. 

Se o sistema eleitoral fosse o da lista preordenada, simplificaria a tarefa do eleitor em compreender as propostas políticas e o seu controle posterior, da ação dos representantes da legenda em que votou. 

A lista preordenada seria uma lista transparente por excelência. Ao contrário da atual lista pós-ordenada pelo eleitor, na preordenada seria fácil saber quais serão os prováveis eleitos.

Na lista atual, o eleitor pode escolher em quem votar, mas geralmente, não elege o que escolheu. A preordenada também é vantajosa ao eliminar a enorme quantidade de campanhas eleitorais individuais em busca de uma boa colocação na lista, mantendo é claro, às coligações.

Por fim, a opção da lista preordenada é a que melhor se adéqua ao financiamento público e exclusivo de campanha. Ao eliminar o financiamento privado, também estaremos eliminando a maior fonte de corrupção nas eleições e no exercício de cargos públicos.

Se a reforma política, nessa perspectiva estivesse aprovada, daria mais e melhores opções de escolha e de controle aos eleitores sobre seus representantes. E o processo eleitoral fluiria entorno dos Projetos/Programas e não dos indivíduos.

domingo, 20 de maio de 2012

James Brown e o show após a morte de Luther King

 Esse show foi realizado 1 dia após o assassinato de Martin Luther King. Neste dia, diversas cidades norte-americanas eram alvo de distúrbios em razão da revolta provocada por essa terrível tragédia.  


Em Boston, ativistas negros já tinham marcado atos de protesto para aquela noite. O clima era o pior possível. Foi então que o prefeito Kevin  White, aproveitando que James Brown estava em turnê na cidade naquela semana, pediu para que Brown "acalmasse" a população. 


O show foi transmitido pela tv ao vivo. O próprio prefeito, antes do show começar, faz um belo discurso lembrando dos ideais de Paz do Rev. King. A performance do Godfather of Soul foi brilhante como sempre. 


Ainda hoje é perceptível o clima de tensão que transcorre durante a apresentação, especialmente na parte final, quando jovens negros tentam subir no palco e são repelidos com certa brutalidade pelos policiais brancos que faziam a segurança do show. James Brown segurou a onda. Nada aconteceu em Boston naquela noite e nos dias seguintes. 


 Do, Luis Nassif.



quinta-feira, 17 de maio de 2012

As inscrições para participação no Festival de Inverno da UFMG estão prorrogadas até o dia 18 de maio, sexta feira, às 24h.


Gostaríamos de chamar a atenção de todos para o motivo da escolha deste Festival como evento de participação dos Pontos de Cultura de Minas Gerais. O Festival de Inverno da UFMG solicitou a participação dos Pontos devido à proximidade das propostas do Festival e do Programa Cultura Viva. A proposta do Cultura Viva de potencializar os trabalhos já existentes, nos vários segmentos da cultura, dando força e divulgando os vários saberes e suas formas de transmissão, vão ao encontro da proposta do Festival, com as suas várias Casas que abrigam os diversos grupos de trabalho. Por isso, insistimos que os Pontos de Cultura têm potencial de saberes e projetos para se inserirem nesse diálogo dentro das Casas do Festival.

Leiam com atenção o email já enviado, que segue abaixo.

Destacamos, como exemplo, uma parte do projeto do Festival, que explica:
"O 'comum' de uma comunidade, portanto, diz do 'aparecer' dos sujeitos na esfera de visibilidade pública como interlocutores dignos de respeito e estima. Gostaríamos, assim, de imaginar o Festival de Inverno como espaço de troca e circulação não hierarquizada de saberes e práticas, promovendo as mediações entre diferentes iniciativas, coletivos culturais e grupos artísticos, ao mesmo tempo, acolhendo e escutando como interlocutores sujeitos que tradicionalmente se vêem excluídos desse evento."

Continuamos à disposição para eventuais dúvidas.

Mais informações: manuella.machado@cultura.mg.gov.br ou pelos telefones (31) 3915-2690, (31) 3055-5903 e (31) 3055-5911.



AOS PONTOS, PONTÕES E REDES DE PONTOS DE CULTURA DE MINAS GERAIS

Prezados Gestores,

Segue abaixo a proposta para a participação de todos os Pontos , Pontões e Redes de Pontos de Cultura de MG no 44º Festival de Inverno da UFMG-Diamantina 2012.
Participem!
Abraços

Participação dos Pontos de Cultura de Minas Gerais no 44º Festival de Inverno da UFMG
 Inscrição para Seleção


A Universidade Federal de Minas Gerais, em parceria com o Ministério da Cultura, a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais (SEC-MG) e a Comissão Estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais, convida os Pontos de Cultura das redes do Estado de Minas Gerais a se inscreverem na seleção para participarem do 44º Festival de Inverno da UFMG, que se realizará em Diamantina entre os dias 15 e 26 de julho de 2012.

Cada Ponto de Cultura poderá inscrever até 02 (dois) representantes para concorrer às 42 (quarenta e duas) vagas disponíveis. A seleção será feita por representante, segundo os critérios abaixo.

1º - Disponibilidade para participar impreterivelmente dos 10 (dez) dias do evento (de 15 de julho a 25 de julho). Isso porque as atividades das Casas se darão de forma contínua durante esse período, e os Pontos participarão de todas as etapas do grupo de trabalho.
2º - Currículo e área de atuação afinada com a proposta das Casas (leia abaixo)
3º - Dentre os classificados pelas duas análises acima, a Comissão buscará garantir a participação do maior número de Pontos possível.

Os representantes dos Pontos de Cultura serão integrados aos grupos de trabalho de cada Casa, sendo que sua participação se dará de forma ativa, como sujeitos, por meio do compartilhamento de reflexões e experiências culturais afinadas com os temas das Casas.

A comissão de seleção será composta por representantes do Ministério da Cultura, Secretaria de Estado de Cultura – SEC-MG, Comissão Estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e UFMG.

Aos 42 selecionados será oferecida hospedagem, alimentação e transporte. Destaca-se que os selecionados deverão assinar um termo com a SEC-MG no qual se comprometem a participar dos 10 dias do evento (estadia inferior a este período implica que o selecionado pague as diárias restantes). As hospedagens serão em quartos duplos, a alimentação via ticket refeição e o transporte por meio de ressarcimento posterior.

As inscrições estão abertas até o dia 16 de maio de 2012 (até as 24h) no link http://bit.ly/FestivalUFMG.Não serão aceitas inscrições realizadas após o prazo. Mais informações: manuella.machado@cultura.mg.gov.br ou pelos telefones (31) 3915-2690 e (31) 3055-5903.

O 44º Festival de Inverno da UFMG será uma ocasião privilegiada para a troca de experiências entre os diferentes saberes (acadêmicos e tradicionais) e práticas (materiais e simbólicas), de tal modo que a Universidade abrigue outros sujeitos e outras formas de conhecimento, provenientes, por exemplo, das culturas afro-descendentes e indígenas, bem como das várias práticas e saberes que povoam a cidade: desenvolvidos pelas instituições (museus, escolas, institutos), resguardados pela cultura popular e inventados pela vivência cotidiana nos espaços públicos.

Assim, o Festival pretende criar espaços descentralizados para a formação e experiência compartilhada entre os sujeitos interessados em diferentes domínios da criação artística cultural, por meio de ambientes e iniciativas que estimulem a invenção, a aprendizagem e a reflexão crítica. Serão espaços também de troca e circulação não hierarquizada de saberes e práticas, promovendo mediações entre diferentes iniciativas, coletivas culturais e grupos artísticos e, ao mesmo tempo, acolhendo e escutando como interlocutores sujeitos que tradicionalmente se vêem excluídos desse evento, como aqueles vinculados aos saberes e práticas tradicionais das culturas indígena, afro-descendentes e popular.

Com esse objetivos foram distribuídos seis núcleos, chamados Casas:

Casa dos Cantos e da Escuta: abrigará os mestres (xamãs), aprendizes e cantores de diferentes grupos indígenas (Guarani-Kaiowá, Mbyá-Guarani, Krahô, Maxacali e Baniwa), com seus saberes, rituais, cantos e músicas.

Casa da Memória “Chica da Silva”: reunirá atividades ligadas à cultura dos afrodescentes (congados, reinados, candomblé), valendo-se da literatura africana em Língua Portuguesa, dança contemporânea inspirada em matrizes corporais nigerianas, cantos ritualísticos africanos e música instrumental (kora, tambores e outros instrumentos).

Casa das Imagens: espaço para se pensar a criação e circulação de imagens, estreitamento articuladas à experiência dos grupos e saberes envolvidos no Festival. Envolverá a criação de video-documentários e de intervenções audiovisuais em parceria com as Casas do Canto e da Escuta e da Memória; organizará mostras e exibições de filmes (vinculados às temáticas das demais Casas) em espaços públicos.

Casa da Cidade: reunirá sujeitos interessados em pensar e em intervir no espaço público da cidade de Diamantina, levando em contra o patrimônio material e imaterial, as localidades e vizinhança, para propor experiências conjuntas de ocupação e recriação dos espaços comuns, tais como quadras, praças, lagos, campinhos de futebol, ruas e jardins

Casa das Artes Corporais: será o espaço de iniciação à Capoeira e às danças e cantos afro-brasileiros existentes na região de Diamantina (como Candombe e os Vissungos). Sediará também uma colônia de férias para as crianças da cidade.

Casa da Palavra: fará da comunicação um processo estruturante das atividades do Festival, por meio da exploração de processos populares de expressão presentes na cidade; da edição da revista colaborativa do Festival; da criação de programas de rádio com a participação dos alunos das escolas públicas e também de produtos audiovisuais vinculados à mobilização juvenil.


Cláudia Houara de Castro
Assessora de Programas e Projetos
RRMG/MINC
Ministério da Cultura
31-3055-5903/5900

I Encontro Regional de Professores e Licenciandos de Sociologia


I Encontro Regional de Professores e Licenciandos de Sociologia será promovido pelo PIBID de Sociologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O evento ocorrerá no dia 19 de maio de 2012, no campus Santa Mônica, Bloco 5O F, à partir das 08:30h.

O intuito será discutir a importância da Sociologia no Ensino Médio e suas implicações enquanto disciplina.

O encontro contará com a participação da Profa. Dra. Ileizi Fiorelli (UEL) e, também, da Profa. Dra. Elisabeth Guimarães (INCIS/UFU), seguida de mesas coordenadas.

Para participar é necessário se inscrever por meio do endereço eletrônico que se segue abaixo:


Haverá emissão de certificado!

Contamos com sua presença!

Lilian S. Pinto
PIBID/Sociologia/UFU
7 ° Período - Ciências Sociais 

Encontro Internacional de Ciências Sociais


O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais - UFPel convida a comunidade científica – instituições de ensino superior, de pesquisa, e de extensão, públicas ou privadas, para participarem do* III-EICS-* Encontro

Internacional de Ciências Sociais. O Evento tem ocorrido a cada dois anos, desde o segundo ano da fundação do Programa de Mestrado da UFPel - Pelotas.


ATENÇÃO: As chamadas para GT's estarão abertas até o dia 11 de junho.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Parábola

Sigamos assim a qualquer preço, o que importa é o movimento pelo movimento. O fim, que fim? Vamos manter tudo como está, melhor não pode ficar!" 

E lá seguia o homem sentado em seu burrinho, tagarelando a quem pudesse ouvir: 

Vamos lá, apenas sigamos! Vamos se ajuntando, cada chefe pegue o seu burrinho! E olha, para nada ficar tão parecido e tedioso, os burrinhos de bolinhas, vão à frente. 

Mas lá pelas tantas, alguém sem burrinho perguntou: 

Vamos aonde?
Para o mesmo lugar, Tudo deve ficar como está! 

Acho que é uma parábola daquelas que nem sempre o que se quer dizer é o que se diz, nem sempre o que se mostra é real, o velho é bom, teatro e contrateatro. Gosto de Sócrates nesse ponto, ao contrário do que naturalmente é!

terça-feira, 15 de maio de 2012

CONVENÇÃO ESTADUAL DE SOLIDARIEDADE A CUBA- MG

Local : Auditório da AFFEMG, Rua Sergipe 893 - Belo Horizonte.
Dias 18 e 19 de maio.

Dia 18 de maio- sexta- feira 
19h Abertura da Convenção Estadual de Solidariedade a Cuba Show do Pedro Munhoz e participação do membro do consulado cubano 



19 de maio, Sábado -Convenção Estadual de Solidariedade a Cuba - 

8h30 - A Solidariedade como Valor - Um olhar de Minas (Sérgio Miranda - Maria José)
10h- A Solidariedade como Valor - Internacionalismo (Cônsul Lazaro Mendez- José Vieira)
11h30- A Cultura como mecanismo para romper o bloqueio (Pedro Munhoz - Magela Medeiros)



segunda-feira, 14 de maio de 2012

Eleições de Uberaba refuta a pós-modernidade

A pós-modernidade conduz “tudo” (tudo mesmo) em um único e mesmo movimento, a uma lógica que valoriza o relativismo e a indiferença, e cria um conjunto de processos intelectuais flutuantes e indeterminados. 

Em outras palavras: a pós-modernidade tem predomínio do instantâneo, da perda de fronteiras, gerando a ideia de que o mundo está cada vez menor. Mudam-se valores: é o novo, o efêmero, o fulgaz, o individualismo, que valem.

As incoerências da pós-modernidade, cria-se a própria realidade baseado em conceitos internalizados, que hora serve e que hora não serve.

De repente, quem nunca falou em democracia ou agiu de forma democrática, se esconde no véu democrático como vítima (Diga-se de passagem, colhendo o que se planta)! E é assim, democracia serve em um momento, e em outra ocasião não serve mais, o mesmo com o socialismo, o comunismo, a educação...

Estamos vivendo em Uberaba fenômenos insólitos. Tudo se passa como se o futuro tivesse se tornado um lugar vazio. Esse pré-eleitoral aqui na cidade, refuta mesmo a  pós- modernidade, que nos apresenta novos valores e, que a cada momento nos provoca ações e reações, onde se muda de conceitos num estalar de dedos.


E esse relativismo tem abalado a razão humana, a crença no humanismo e a crença num amanhã melhor. Ah, minha Princesa do Sertão! O que fizestes, para merecer tantos bruxos e bruxas más?

sábado, 12 de maio de 2012

Fiéis e Inteligentes

As mulheres acabem de ganhar um belo argumento contra os dom-juans: segundo uma pesquisa divulgada recentemente,homens fiéis são mais inteligentes que os infiéis. Dito assim, parece conversa pra boi dormir, mas há uma informação importante  atrás desse resultado. 

Satoshi Kanazawa, especialista em psicologia evolutiva da London Schools of Econimics, descobriu que há uma mudança de mentalidade em curso, e essa é a grande notícia.Todos sabem a força da cultura herdade. De geração em geração, homens lidam com sexo de uma maneira menos romântica que as mulheres. Aliam suas fantasias e seus desejos a revelia de seu estado civil, amparados pela teoria ancestral de que nasceram para espalhar o maior número de sementinhas e assim garantir a permanência da espécie. Com um álibi bom desse a infidelidade masculiana acabou sendo considerada apenas uma travessura, e se a traição magoava as parceiras fixas, azar das parceiras fixas. 

Perde-se um ônibus, logo vem outro, não é que o dizem? O que o senhor Kanazawa revelou ao mundo que os homens começaram a perceber que esse rodízio pode ter um alto custo emocional. O sexo clandestino é muito divertido e o risco de ser descoberto pode deixá-lo ainda mais saboroso, mas se for realmente descoberto, supresa: já não haverá uma Amélia para perdoar. 


Antigamente, as mulheres faziam olho branco não só porque "homem é assim mesmo", mas porque a sociedade não recebia de braços abertos as desquitadas, e, além de sozinha, elas teriam que viver de pensão e reduzir seu padrão de consumo, sem falar no trauma causado aos filhos, má reputação familiar que era facilmente evitada: bastava fingir que nada estava acontecendo. Hoje, independentes financeiramente, com a sociedade as reverenciado e conhecedoras de truques para não envelhecer jamais, as mulheres já não têm por que  aturar desaforos. 

Se a linha de ônibus deles é frequente, a nossa também, basta fazer um sinal. Mas não é a realidade que costuma nos dar uma bela história de vida pra contar .Afora as imutáveis diferença hormonais que determinam o comportamento sexual de machos e fêmeas, o aspecto cultrural pode realmente estar passando por uma evolução.

Os homens mais inteligentes (cuja pesquisa inclui também os ateus e os politicamente liberais,mas isso ninguém se atreve)são aqueles que estão atentos às transformações sociais e que se deram conta de que mais vale ter uma mulher incrível ao lado do que uma coleção de biscates, e resolveram reduzir a farta distribuição de sementinhas. 

Sendo homens seguro, não precisam copiar o padrão machista de seus pais e avós. Captaram, com mais rapidez que os neurologicamrente desfavorecidos, que o risco de perder a mulhe amada é grande e que a fidelidade pode ser um bom investimento a longo prazo.Como é que ficaram tão espertos?Precisaram ficar. Suas mães e avós, também muito inteligentes, pavimentarm essa mudança antes deles.

Martha Medeiros

terça-feira, 8 de maio de 2012

Análise política do blog concretizada hoje

Quando escrevei um artigo, dizendo que a posição do Prefeito Anderson Adauto o encurralava nas eleições de 2012, tratava-se de uma analise política, histórica e propositiva, no sentido de somar forças para que não acontecesse o fato anunciado hoje, no Jornal de Uberaba.

 Dos 10 partidos da base aliada (PMDB/ PC do B / PSL / PRP / PT / PR / PSC / PSB / PDT / PMN), com esse anúncio da oposição e do Deputado Aelton Freitas (PR), o governo municipal perdeu definitivamente quatro partidos (PR/ PSB / PDT / PMN). Que  já tinha “perdido” o PT como publicado, com o lançamento da candidatura própria do Deputado Estadual, Adelmo Carneiro Leão.

E em seu próprio partido (PMDB), Adauto enfrenta uma intervenção estadual para sanar a celeuma entorno da candidatura de Rodrigo Mateus e Paulo Piau. Ficando  apenas ao seu lado, parte do PMDB (local), PSL e o PRP.  Já que  PCdoB, mantém sua independência de negociação como dito nesse blog.

Concretizada hoje a análise publicada em janeiro, estou aqui para citar apenas uma frase: “Os homens fazem a sua própria história, mas não o fazem como querem...” E se errou é porque a ação estava focada no indivíduo. Sem eco, não há vitórias!  Quem afinal trouxe o passado de volta, é aquelas que escolheram por ficar sem às vozes do coletivo. “...A tradição de todas as gerações mortas oprime como um pesadelo o cérebro dos vivos...” Sempre do bom e velho Marx!




Por que a Globo defende o veto ao Código Florestal??


A impressão que o e telespectador global pode ter com relação ao Código Florestal é que o Brasil está prestes a cortar suas últimas árvores. No entanto, o nosso território, segundo o Ministério do Meio Ambiente, é coberto em 60,7% por florestas, inclusive por florestas naturais em 59,9% (cf. Serviço Florestal Brasileiro/MMA, “Florestas do Brasil em resumo 2010”, pág. 7).

Então, por que essa histeria em torno do Código Florestal, sobretudo considerando que apenas 27,7% do nosso território encontra-se ocupado pela agricultura ou pela pecuária? E a proposta de avançar é nessa porcentagem!
O motivo verdadeiro pode ser encontrado, por exemplo, em “Farms Here, Forests There” (“Fazendas Aqui, Florestas Lá”), de Shari Friedman, consultora “senior” da David Gardiner & Associates, uma bem sucedida empresa de assessoria “ambiental” para corporações dos EUA. Que estão preocupados  com a expansão de commodities dos produtos brasileiros que competem diretamente com os produtos dos EUA. 
O problema aqui é frear a expansão da nossa agricultura e pecuária. Mas como defender que um país com 60,7% do território coberto por florestas, a maior parte intocada, não expanda a agricultura? Evidentemente, teriam que forjar um motivo ou pretexto.
Para isso serve a farsa do “aquecimento global”. Depois de desmoralizado cientificamente, o “aquecimento global” se tornou igual às receitas do neoliberalismo, do qual é cria: existe porque existe, sem necessidade de prova, e é nocivo porque dizem que é nocivo, sem mais complicações argumentativas. Em suma, é mais uma vigarice para os trouxas do mundo – e para os espertos ganharem dinheiro. (Sugestão de artigo sobre a farsa do aquecimento global: “Aquecimento global: as previsões furadas de Lovelock”, por José Carlos Ruy)
 Por isso faço um apelo, enquanto comunista (que não tem terra alguma): Defender o Veto é defender o capital estrangeiro e travar o avanço da soberania e do desenvolvimento nacional

sábado, 5 de maio de 2012

Meio ambiente não é para carreiristas

Gosto de gente inteligente quando o assunto é meio ambiente. Com a questão do código florestal e a Rio+20 tenho visto alguns ambientalistas carreiristas, que ainda não se deu conta de ler próprio código e nem fez um estudo aprofundado sobre a temática. Esse professor da USP explica, a começar que o aquecimento global é uma grande falácia e a Amazônia nunca foi o pulmão do mundo. Vale a pena assistir!
http://programadojo.globo.com/videos/v/o-aquecimento-global-e-uma-mentira-e-o-que-afirma-o-climatologista-ricardo-augusto/1930554/