sábado, 31 de março de 2012

Respeitar o PCdoB é respeitar o Brasil*


Os aliados se tornaram alvos de ataques e a oposição de camarote assistindo o “bate cabeça” da situação em Uberaba.


No mês que o Partido Comunista do Brasil completa 90 anos, sendo a organização política de vida mais longa de toda a história do país, onde estivemos presente nos principais acontecimentos políticos e muitas vezes com sacrifícios de vidas humanas em defesa da democracia, assistimos abismados à condução fechada e sem sustentação política do processo eleitoral em Uberaba. Os aliados se tornaram alvos de ataques. A oposição de camarote assistindo o “bate cabeça” da situação.

Na semana passada, quando me referi ao Diretório municipal do PMDB de Uberaba, em minha página social, abro um parêntese, partido que tenho profundo respeito pela sua história de luta em defesa do Brasil, fecho parêntese, foi para chamar ao juízo à direção partidária. E me dou a esse direito sim, enquanto cidadã e militante ativa em defesa da cidade de Uberaba. Passei minha juventude lutando por um município mais cultural e com espaço de participação para todos.

Apreendi no PCdoB que não existe causa individual, frente ao coletivo. A posição do Wadson Ribeiro no cenário eleitoral é uma causa coletiva, mas não determinante no campo de aliança em Uberaba, como uma fonte do PMDB afirmou para a jornalista Giselda Campos essa semana.

O decisivo para definirmos nosso campo de aliança, é um processo de continuidade com responsabilidade, que provoque maiores avanços científicos e tecnológicos de gestão - o que estamos chamando do terceiro salto de desenvolvimento para Uberaba.

É com densa tristeza que vejo os atropelos seguidos de atos de desespero no processo eleitoral de 2012, ao ponto de fontes do diretório do PMDB incitar para a jornalista Giselda Campos, denúncias não comprovadas do Ministério dos Esportes, no objetivo de desqualificar o PCdoB quem vem sim, incidindo no Processo eleitoral de 2012.

Afirmo que vamos continuar avaliando politicamente os passos dos nossos aliados, lutamos muito pela democracia e liberdade. Não há donos de verdades nem dá coisa pública. E não vamos perder o “bonde” da história.

*Sumayra Oliveira - Presidente do PCdoB/Uberaba

sábado, 24 de março de 2012

Festa de 90 anos do PCdoB em Uberaba - uma festa vermelha, verde e amarelo



As comemorações do aniversário de 90 anos do PCdoB em Uberaba, contaram com Deputados, vereadores, mais de 100 participantes e 11 homenageados - uma festa que entrou para a história de Uberaba.

A noite começou com apresentação da Cia. Rogê, um grupo de teatro de Uberaba, que em honra aos 90 anos do Partido Comunista do Brasil, apresentou um pequeno trecho do espetáculo LIBERDADE. Que esteve em cartaz entre 2010 e 2011, acumulando diversos prêmios em Festivais de Teatro - inclusive, sendo considerado por duas vezes, o melhor espetáculo.  Baseado nos movimentos de contracultura, LIBERDADE apresenta um grupo de jovens que acredita num mundo melhor e mais justo. Nada mais oportuno, para a celebração de um partido de 90 anos e ainda jovem.

A mesa das comemorações foi composta pela Presidenta do partido, Sumayra Oliveira, Pelo Deputado Federal Paulo Piau (PMDB), Deputado Estadual Adelmo Carneiro Leão (PT), O presidente da Câmara municipal, o vereador Luiz Humberto Dutra (PDT) e o vereador Lourival dos Santos (PCdoB).

Sumayra  Oliveira iniciou as saudações da noite, lembrando que a história de Uberaba é uma história muito próxima dos comunistas , “a histórias de vida dos homenageados, o público presente se identificará com a historia de uma cidade de luta e ativa nos 90 anos do PCdoB.” Ainda destacou “Novo Projeto Municipal de Desenvolvimento  apresentando pelo partido representará um novo salto em desenvolvimento local, o terceiro na história do Uberaba.”

O Deputado Paulo Piau, trouxe em suas mãos o material que está sendo distribuído na exposição iconográfica no Congresso Nacional e lembrou à história do PCdoB. O Deputado Estadual Adelmo Carneiro Leão disse que o Manifesto Comunista, escrito por Marx e Engels em 1848 é um dos livros mais atuais para compreender a atual conjuntura.

Após ocorreu homenagens ao comunistas uberabenses, ainda um bolo com o slogan dos 90 anos do PCdoB e um coquetel

A lista dos homenageados:



1.                  Afrânio de Azevedo (in memória), na pessoa do seu bisneto Pedro Henrique de Azevedo. Seu bisavô foi presidente de honra da frente antifascista do Comitê Democrático Popular de Uberaba, em julho de 1945. Ele foi candidato, em 1946, à Câmara Federal por Minas, obteve 3.595 votos e foi o segundo mais votado do PCB, ficando atrás de Prestes. No setor Campinas, em Goiânia (GO), uma célula do partido levou seu nome. Elegeu-se com 583 votos deputado estadual, em Goiás, pelo PCB, em 1947. Porém, foi cassado em 1948, juntamente com todos os parlamentares comunistas do país.

Quatro dos cinco filhos de Afrânio, José Olympio, Mário Augusto, Afrânio Marciliano e Martha, viajaram pela Europa em 1957, por quatro meses, dos quais dois pela União Soviética, onde participaram do 6º festival da Juventude, em Moscou. As correspondências enviadas ao pai tornaram-se o livro Cartas de Dois Mundos (Rio de Janeiro: Editora da Itambé/ Editorial Vitória, 1959) Mário foi vice-presidente da secundarista UME (União Metropolitana de Estudante), do Rio, e José Olympio foi pró-reitor de extensão estudantil da UFU (Universidade Federal de Uberlândia), em 1984. O filho Afrânio Marciliano fez plástica no queixo e nariz de Carlos Lamarca, no inicio de 1970, no Rio de Janeiro (RJ), para despistar da repressão. Foi preso em 6 de abril daquele ano e ficou 73 dias no DOI-codi e na Polícia do Exército.  Hoje Afrânio de Azevedo é a Avenida de umas das Universidades de Uberaba.

2.                  Afrânio de Oliveira e Silva que fundou o PCdoB na época da legalidade em Uberaba, onde sua filha, Sumayra Oliveira, é a atual presidente.

3.                  Alexandre Barbosa (in memoriam), responsável por introduzir em Uberaba, o pensamento comunista no final do século XIX e hoje leva o nome de uma importante Avenida na cidade.

4.                  Barbosa Cauhi (in memoriam), homenageado na pessoa do seu filho José Cauhi. Barbosa em 1964 era funcionário da SUPRA (Superintendência de Políticas Agrárias), do governo federal. Sob acusação de promover abaixo-assinado pela legalização do PCB entre os trabalhadores rurais, foi decretada sua prisão. Refugiou-se durante dois meses, na casa de parentes em Embaúba (SP), mas entregou-se devido à ameaça de que seu pai, José Barbar Cauhi, seria detido como retaliação.

5.                  João Bessim (Boleia), ingressou no partido aos 17 anos e pertenceu à célula Aristóteles Coelho. Sua função era distribui o jornal “Voz Operária” na década de 1960.

6.                  Calixto Rosa Neto, dentista, membro da UJC (União da Juventude Comunista) e dirigente do PCB na década de 1950, em Uberaba. Manteve ligação permanente com o movimento pela reforma agrária nos municípios de Campo Florido e Prata, desde a década de 1950.

7.                  Durval Dias de Abreu  (in memoriam) homenageado na pessoa do seu filho Pablo Dias de Abreu. Durval integrou a FEB (Força Expedicionária Brasileira), que foi à segunda Guerra Mundial, na Itália. Foi secretário-geral da UJC (União da juventude Comunista) nos anos de 1940, quando a sede funcionou em sua residência. Nos anos de 1950, quando foi dirigente municipal do PCB, a célula Alfredo de Paula Jr. reunia-se em sua casa. Seu nome é citado em documentos do Dops de São Paulo, sobre comunistas de Minas. Foi vice – Presidente da Campanha Pró- Imprensa Popular em Uberaba, que pretendia recolher em todo o país 15 milhões de cruzeiro do povo, de Belo Horizonte, entre outros.

8.                  Hélio Gomes Ferreira, exerceu o cargo de secretário da célula  Arlindo Coelho, que se reunia na rua padre Zeferino, 45, que contava em média 20 membros dos quais eram, Licurgo Modesto de Almeida, Geraldo Magalhães e João de Souza -  alfaiates, Euclides Brandão - empresário, João Lúcio e outros.

9.                  Lourival dos Santos, primeiro vereador eleito pela sigla PCdoB, na cidade de Uberaba..

10.               Lucília Rosa Soares (in memoriam ),  foi  uma das 17 primeiras vereadoras de Minas Gerais, eleita aos 35 anos, em 1947, em Campo Florido, no Triângulo Mineiro. Ela pertencia ao PSD (Partido Social Democrático), embora fosse ligada ao então clandestino PCB (Partido Comunista do Brasil) desde os 18 anos. Lucilia Soares Rosa nasceu em Uberaba (MG), em 1912, filha do alfaiate Calisto Rosa e sobrinha do professor e agrimensor Alexandre Barbosa, católicos até a adolescência, ambos tornaram-se anticlericais e anarquistas. Eles exerceram importante influência sobre ela. Seu avô materno, José Severino Soares, o "Juca" Severino, foi respeitável fotógrafo no Brasil Central, entre 1860 a 1917.

11.               Maria Olinda Vaz, ativa no movimento estudantil no período da redemocratização, sendo filiado ao PCB.

quinta-feira, 22 de março de 2012

PCdoB em seu aniversário de 90 anos rende homenagens aos comunistas da história de Uberaba


Hoje acontece um ato político e comemorativo na Câmara Municipal de Uberaba, em homenagem ao aniversário do PCdoB. O evento será realizado no Plenário dos Vereadores, às 19 horas. A presidenta do Partido, Sumayra Oliveira, lembra que será revelada outra história de Uberaba, onde os principais nomes de ruas da cidade são de comunistas que lutaram muito por essa causa. “Essa é a nossa história, portanto precisamos contar.”

Os homenageados serão:

1.      Afrânio de Azevedo (in memoriam)
2.      Afrânio de Oliveira e Silva
3.      Alexandre Barbosa (in memoriam)
4.      Barbosa Cauhi (in memoriam)
5.      João Bessim (Boleia)
6.      Calixto Rosa Neto
7.      Durval Dias de Abreu (in memoriam)
8.      Hélio Gomes Ferreira
9.      Lourival dos Santos
10.  Lucília Rosa Soares (in memoriam)
11.  Maria Olinda Vaz
12.  Vitor Martins

O ato contará com a presença de dirigentes partidários, lideranças parlamentares e do movimento social, autoridades do poder executivo e convidados. E à partir das 21h30, será promovido um coquetel de confraternização que reunirá amigos do Partido e lideranças.


Da redação do PCdoB

terça-feira, 20 de março de 2012

Liberdade de expressão cerceada em Uberaba


Após manifestação realizada por profissionais da Educação das redes municipais e estaduais, na semana passada, no centro da cidade de Uberaba, onde os fiscais do Departamento de Posturas estiveram no local e apreenderam parte dos panfletos que estavam sendo distribuídos, com a alegação que o Código de Postura, proíbe a distribuição de qualquer tipo de folheto, panfleto ou similar, de qualquer natureza, em logradouros públicos, sem a devida autorização dos órgãos competentes.
O vereador Lourival dos Santos (PCdoB) protocolou no dia 16, um Projeto de Lei que altera o artigo que trata do tema, por compreender prioritariamente que liberdade de expressão é um dos princípios fundamentais de maior relevo, pois corresponde a uma das mais antigas reivindicações dos homens.
E que a Constituição Federal, comprometida com os valores da dignidade humana, consagra a liberdade de expressão, em diversos dispositivos, já que o legislador constituinte registrou as liberdades de manifestações de pensamento e de expressão intelectual no rol dos direitos fundamentais, bem como entre o capítulo que disciplina a cultura e a comunicação social.

É especialmente importante registrar que a liberdade de expressão é um princípio constitucional de eficácia plena e de aplicabilidade imediata.


segunda-feira, 12 de março de 2012

Considerações sobre o aumento do número de vereadores em Uberaba-MG


No contexto do aumento das vagas para a próxima legislatura, surgiram muitas falácias acerca desta matéria e diante deste fato gostaríamos de fazer algumas considerações – A nossa Carta Constitucional assim versa:
Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência. (Redação dada pela Emenda Constitucional n° 4, de 1993). 

A Emenda constitucional 58/2009 tão debatida estabeleceu os seguintes parâmetros:
N° de Vereadores (máximo)
Faixa populacional habitantes
9 (nove)
Até 15.000
11 (onze)
Mais de 15.000 até 30.000
13 (treze)
Mais de 30.000 até 50.000
15 (quinze)
Mais de 50.000 até 80.000
17 (dezessete)
Mais de 80.000 até 120.000
19 (dezenove)
Mais de 120.000 até 160.000
21 (vinte e um)
Mais de 160.000 até 300.000
23 (vinte e três)
Mais de 300.000 até 450.000
25 (vinte e cinco)
Mais de 450.000 até 600.000
55 (cinqüenta e cinco)
Mais de 8.000.000

Percentual sobre a receita do município (duodécimos)
% sobre as receitas (repasses)
População habitantes
7% (sete)
Até 100.000
6 % (seis)
Entre 100.000 e 300.000
5 % (cinco)
Entre 300.001 e 500.000
4,5 (quatro e meio)
Entre 500.001 e 3.000.000
4 (quatro)
Entre 3.000.001 e 8.000.000
3,5 (três e meio)
Acima de 8.000.001

Constitui-se em falácia os argumentos de que o aumento no número de vereadores causará aumento de despesa pública. Ora, os repasses de recursos às Casas legislativas não estão atrelados ao número de edis e sim à população do município conforme demonstrado no quadro acima.

Portanto não é imoral o aumento das vagas de Vereadores, pois este fato já está previsto em nossa Constituição Federal e a Carta Magna não prevê imoralidades. O NÃO aumento dos vereadores é sim um retrocesso no sistema federativo e um ataque direto a democracia brasileira.

Lourival dos Santos
Vereador –PCdoB

terça-feira, 6 de março de 2012

Mais poder político para as mulheres


O próximo Dia Internacional da Mulher, 8 de março, é mais um momento para fazermos a reflexão sobre o papel exercido pelas mulheres nos rumos de Uberaba, de Minas Gerais e do Brasil.

A organização das mulheres no centro das decisões políticas em associações comunitárias, sindicatos, partidos, organizações não governamentais, entidades, grupos religiosos e outros grupos coletivos, aprofunda a construção democrática de um projeto municipal de desenvolvimento que necessita da presença efetiva das mulheres. Superar os obstáculos da participação política feminina nos espaços de poder e decisão é a tarefa do século que desafia, ainda mais, as forças progressistas, populares e avançadas de nossas sociedades.

Se, por um lado, há muito a comemorar - com a presença em nível nacional de uma mulher na Presidência da República e, agora em 2012, com a comemoração dos 80 anos do direito ao voto feminino no Brasil - por outro lado, dados nacionais de participação da mulher nos parlamentos e nos executivos municipais e estaduais mostram que a predominância masculina ainda é a realidade atual.

Mesmo representando 52% do eleitorado brasileiro, apenas 46 dos 513 deputados federais são mulheres. Na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, das 77 cadeiras, a bancada feminina conta com cinco parlamentares. Na Câmara de Uberaba, nenhuma vereadora mulher, ocupa a cadeira dentre os 14 vereadores.

É necessário que liberemos as mulheres, que já somam, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 38,7% dos chefes de família, para a vida pública, as artes, as ciências, a política. Isso envolve questões que vão desde a divisão do trabalho doméstico, prioritariamente, com o Estado, até ganhos salariais equivalentes aos dos homens, passando pela garantia de acesso a diferentes benefícios, como o direito à moradia com titularidade feminina; creches no horário de trabalho e escolas de tempo integral; saúde pública que atenda às mulheres em todas as fases de sua vida e previdência social com atenção de gênero.

Para isso, a organização em torno das lutas que envolvam não só as relações de gênero, mas de outras diferenças ainda são fundamentais. Somente atuando na reivindicação de questões que atendam “as maiorias que ainda são tratadas como minorias” é que alcançaremos resultados ainda mais significativos, que representam a conquista de igualdade com respeito às diferenças.


quinta-feira, 1 de março de 2012

Parabéns 192 anos de Uberaba

Vídeo comemorativo dos 192 anos de Uberaba, da Câmara Municipal. 
Vai ao ar amanhã pelas redes de TV locais. Ficou Lindo! 
E amanhã na entrega da Medalha Major Eustáquio ao Zeca Camargo será distribuído o DVD de fotos históricas de Uberaba, que também ficou maravilhoso!


Cultura Gratuita no fim de semana - Fundação Cultural


Feira de Arte e Cultura
6ª Feira – 19h - Pç. Dom Eduardo - Mercês
Aberto ao Público - Classificação: Livre


Dia 2 – Glau Mineira e Banda - MPB

Feirarte
Sábado - Feira de Arte e Artesanato - Pç. Dr. Jorge Frange – São Benedito
Aberta ao Público – Classificação: Livre
Parceria da Fundação Cultural e Seds (Secretaria de Desenvolvimento Social)


Dia 03 - Sábado – 20h
Eustáquio Rocha – Músicas Variadas


Museu de Arte Sacra
      3ª à 6ª Feira, das 12h às 18h - Sábados e Domingos, das 8h às 12h
Igreja Santa Rita – Pç. Manoel Terra – Centro - 3316-9886
          Aberto ao Público – Classificação: Livre


1º de Março a 30 Abril
Santos de Barro - Exposição
Peças de Particulares


Museu de Arte Decorativa de Uberaba
        2ª à 6ª Feira – Das 12h às 18h
R. Maria de Lourdes de Melo Coli, 30 – No Alto da av. Abel Reis - Estados Unidos – 3338-9409                      
Aberto ao Público – Classificação: Livre


1º de Março a 30 de Abril
Objetos de Cerâmica - Exposição
 Peças de particulares

Cine Teatro Municipal Vera Cruz  
           R. São Benedito, 290 – São Benedito – 3317-1476

                                        
Dias 2 e 3 – 6ª Feira e Sábado – 20h
Show de Viola Caipira
Dança do Ventre – Flamenca – Catira
Direção: Prof. Fabiano Freitas
Inteira: R$ 20 - Classificação: Livre
Apoio: Fundação Cultural e Livraria Alternativa


Centro Cultural do Sesi
Pç. Frei Eugênio, 231 – São Benedito – 3322-2021 – www.teatrosesiuberaba.com.br

De 22 de fevereiro a 7 de março
2ª à 6ª Feira, das 10h às 19h – Sábado, das 10h às 18h – Domingo, das 10h às 16h
Panóptico – Aldo Pedrosa
Vídeo-instalações – Tecnologia Interativa
Aberta ao Público – Classificação: Livre
Realização: Pós-Graduação em Artes da U. Federal de Uberlândia –
Centro de C. José Maria Barra - Instituto Federal de E. C. e T. do Triângulo Mineiro



Malditas as feministas*


Malditas as feministas, aquelas que mostraram as mamas e queimaram os sutiãs.Malditas aquelas que nos privaram do direito do crochê, do ponto de cruz e da cozinha; que nos fizeram trabalhar de dia e cuidar dos filhos à noite. Vagabundas, aquelas descriminadas, tratadas como aberrações e queimadas como bruxas na inquisição. Que nos garantiram o direito ao voto e a participação no caminho do nosso país. 

Miseráveis, estas feministas, que ecoaram o grito preso dizendo que "Não, você não tem o direito de me espancar" e "Não, eu não sou sua posse, não sou sua propriedade". Vadias, elas. Acham que podem tudo. Acham que podem trabalhar, parir, amamentar, sentir a dor do leite passando pelo canal mamário. E depois levantar pra ferver as roupas da criança, e depois sair em busca do dinheiro do aluguel. Elas acham que podem namorar com quem quiser e usar shortinho de noite pra tomar cerveja com as amigas. 

Maldita as feministas, essas desgraçadas, que optaram pelo caminho mais difícil, incompreendidas. Pervertidas, vão ficando pelo caminho, mortas por este machismo implícito nas delicadezas e sutilezas, que se perde entre as calcinhas e sutiãs, entre amores, entre dores.

*Por, Manuella Bezerra de Melo