domingo, 19 de agosto de 2012

Giro 65 com Manuela d'Ávila


Jantar com Renato Rabelo (Presidente Nacional do PCdoB) e a senadora Ana Amélia Lemos (PP)

Manuela d'Ávila nasceu em Porto Alegre, em 18 de agosto de 1981, filha de Ana Lúcia e do engenheiro Alfredo d'Ávila, tem quatro irmãos: Luciana, Carolina, Mariana e Fernando.

Como sua mãe é juíza, durante a infância sua família se mudou inúmeras vezes, durante esse período Manuela viveu nas cidades de Estância Velha, São Lourenço do Sul, Pedro Osório e Rio Grande.

Formada em Jornalismo pela PUCRS, também estudou Ciências Sociais(embora não tenha terminado) na UFRGS. Manuela iniciou no movimento estudantil em 1999. No mesmo ano, filiou à União da Juventude Socialista (UJS) e em 2001, ao Partido Comunista do Brasil (o PC do B). De 2001 a 2003 integrou a direção nacional da UJS e a vice-presidência Sul da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Foi eleita vereadora de Porto Alegre, em 2004, com 9.498 votos e tornou-se a vencedora mais jovem da história do município, aos vinte e três anos de idade.

Em 2006, como candidata a deputada federal pelo PCdoB do Rio Grande do Sul. Alcançou a vitória com 271.939 votos, sendo a candidata a deputado mais votada do estado nas eleições daquele ano e quebrando recordes de votação no Rio Grande do Sul.

Em 2009, foi eleita pelos internautas como a parlamentar que melhor representa a população no Congresso Nacional pelo site Congresso em Foco.

Nas eleições municipais de 2008, disputou sua primeira eleição majoritária como candidata à prefeitura de Porto Alegre pela coligação Porto Alegre é Mais (formada por PCdoB-PPS-PMN-PTN-PTdoB-PSB e PR), tendo como vice o deputado estadual Berfran Rosado, do PPS. Obteve 16% dos votos válidos.


Em 2010, Manuela se candidatou à reeleição para o cargo de deputada federal, sendo reeleita com 482.590 votos, sendo a mais votada no Rio Grande do Sul pela 2º vez, e uma das mais votadas no Brasil.

Em 2011, relatou o Estatuto da Juventude, legislação que garante direitos e deveres aos jovens Brasileiros. No estatuto foi incluído assuntos polêmicos, como a igualdade na orientação sexual. Também presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Como presidente da comissão, Manuela pediu a saída do deputado Jair Bolsonaro da comissão, sendo apoiada pela ministra dos Direitos Humanos Maria do Rosário.

Foi apontada como uma das cem parlamentares mais influentes do congresso (cabeças do congresso) pelo DIAP. Também entre os melhores e mais promissores pelo Congresso em Foco, recebendo 33 votos de um conselho formado por jornalistas. Figurou entre os 30 mais influentes pela Veja e cem brasileiros mais influentes pela revista época.

Em 2012, Manuela oficializou sua candidatura a prefeitura de Porto Alegre em 23 de junho, Segundo as pesquisas seu principal concorrente será o atual prefeito José Fortunati. A coligação Juntos por Porto Alegre é composta por PSB, PSD, PSC e PHS.

Além dos partidos que formam a coligação de Manuela, o PP estava indecidido entre Manuela e Fortunati.  Em 11 de junho o partido decidiu apoiar Fortunati. No entanto alguns membros do partido apóiam Manuela, entre eles a senadora Ana Amélia Lemos, o deputado estadual Mano Changes e a também deputada estadual Silvana Covatti.

Outro partido que esteve indeciso foi o PT, que acabou lançando a candidatura de Adão Villaverde. O governador Tarso Genro demostrou leve apoio a Manuela, chamando-a de "excelente".

Quer saber sobre Manuela, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário