quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Não é que somos melhores, eles são piores.


A entrevista do Prefeito Municipal Anderson Adauto, à rádio JM na manhã de hoje, reflete bem o título acima. O artigo do blogueiro Altamiro Borges (Miro) publicado dia 31, também. As coisas não vão nada bem para  o PSDB.

Segundo Miro, A divisão no bloco neoliberal-conservador no Brasil não se dá apenas por motivos pragmáticos. Não decorre somente da disputa entre os candidatos tucanos para as próximas eleições. O racha é muito mais profundo. Deriva da falta de projeto programático da direita, que está fraturada e sem rumo. E afirma, a prova disto é que nem a chamada intelectualidade tucana se entende mais, devido aos artigos publicados na ultima semana no Estadão, expondo as feridas internas dos tucanos.

Por aqui as coisas não são diferentes. A alta cúpula tucana e orgânica fechou a porteira em nome de Mauricio Cecílio, mas o recém chegado Cacá Perez e o já atuante Lourival Bessa, defendem publicamente a realização de uma ampla reunião pra discutir a candidatura à sucessão municipal do ex-deputado Fahim Sawan, sugerindo inclusive realização de prévias.

Será que repetiremos em 2012 às eleições de 1988? Onde tivemos nove candidaturas, o PMDB rachado e a direita fracionada. Naquela, o Hugo Rodrigues da Cunha levou a melhor por transparecer experiência e maturidade ao eleitor, que até então carregavam Wagner do Nascimento no colo.

Na verdade, para o eleitor não importa situação ou oposição e sim segurança no candidato, com aquele super empurrão midiático, é claro. 



Um comentário:

  1. A análise é interessante e merece reflexão. No entanto, o conceito de "direita" e "esquerda" não são mais suficientes para entendermos a política atual. Fui petista por 25 anos, passei pelo PV e atualmente estou no PSDB. Se lembrarmos que há muitos anos, Lula, Brizola, FHC e outras personalidades lutavam juntos contra a verdadeira direita que era o "coronelismo", autoritarismo, fascismo, exploração do capital sobre os valores humanos, e tantos outros pressupostos. O PSDB é uma derivação de esquerda do PMDB. E vejam como estão as alianças??? Quando Lula foi candidato a presidente, tendo Bisol de vice assinou uma carta de extrema crítica ao Sarney, e hoje, o que vemos? Quantos companheiros foram expulsos do PT ou foram constrangidos a saírem e formaram novos partidos como o PSTU e o PSOL? Quando o Lula fez campanha pro Collor em prejuízo de Heloísa Helena, pro Senado, isso é um ato da "esquerda" ou da "direita"??? No meu entendimento, com raríssimas exceções, a ideologia é uma só: o poder. Quem está dentro não quer sair, quem está fora quer entrar. A vaidade pessoal, a ganância, arrogância, soberba, estão muito acima de qualquer ideologia ou até mesmo dos pragmatismos do poder. Os estatutos partidários são muito bonitos, mas quem realmente os respeita? A entrevista do Prefeito Anderson me chamou muito a atenção também e estou processando internamente ainda, pra talvez escrever um artigo. Todos tem muito de bom para oferecer e algo de ruim em que geralmente a gente acaba focando mais. A política é um processo. Ninguém inventou a roda mas todos a ajudam movimentar e impulsionar uma cidade, um estado, um país. No século XXI precisamos reinventar um outro modo de fazer política, caso contrário ficaremos escravos de nossas próprias convicções e estigmas, preconceitos e conceitos. Obrigado Sumayra pela citação. Estamos tentando defender a democracia interna. Infelizmente esse problema sofremos, em maior ou menor grau, em todos os partidos. Bjs. Cacá.

    ResponderExcluir