domingo, 27 de junho de 2010

Odeio que duvidem de mim

Na boa tem coisa, mas chata! Dizer ou insinuar que fez uma coisa que num fez. E passar a ser a malzinha da história sem motivo algum. Nunca gostei de fazer julgamentos, então não façam comigo! Sempre tomei a decisão de tentar evitar julgar aos outros, né? Pra não fazer nada de que eu fosse me arrepender depois. Mas parece que uma praga me persegue por conta disto!! Vira e mexe gente que eu gosto muito me julga sem nem me dar chance de falar nada!

Já fui julgada e condenada sem nem saber porquê! Ahhh e como isso incomoda muito. E me magoa profundamente quando sou julgada por quem eu amo sem chance de dar minha versão dos fatos. Sempre quis ouvir tudo antes de começar a falar. Olha não conheço nenhuma mulher, a não ser as profissionais do sexo que tenho o maior respeito, que fiquei com um homem e vá dormir com outro na mesma noite.

Aí foi num churrasco com um casal de amigos e voltei para casa para que meu “...” me buscasse, tava num lugar longe e meio esquisito e achei melhor ele me pegar em casa, bebi um pouco além. Pronto! Foi o suficiente pra insinuar coisas e jogar dúvidas no ar. Fiquei me sentindo uma caquinha. Sinceramente passar pela cabeça de alguém que convivo há 9 meses que faria uma coisa desta! Não recebo o valor que mereço, não faria isto com o meu corpo a qual eu respeito mais do que qualquer homem. Sou marxista e acredito na monogamia. Pode parecer idiota, mas sou assim!

Eu fico mesmo chateada com estas situações. Porque eu não julgo ninguém assim. E se quem faz isto comigo é gente que eu gosto muito, aí é que é complicado mesmo. A pessoa devia me conhecer o suficiente pra saber que eu mereço muito respeito, por que acima de tudo eu me respeito e assim a todos que convivo.


Sumayra está chateada e com vontade de não falar mais com quem não merece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário