sábado, 31 de março de 2012

Respeitar o PCdoB é respeitar o Brasil*


Os aliados se tornaram alvos de ataques e a oposição de camarote assistindo o “bate cabeça” da situação em Uberaba.


No mês que o Partido Comunista do Brasil completa 90 anos, sendo a organização política de vida mais longa de toda a história do país, onde estivemos presente nos principais acontecimentos políticos e muitas vezes com sacrifícios de vidas humanas em defesa da democracia, assistimos abismados à condução fechada e sem sustentação política do processo eleitoral em Uberaba. Os aliados se tornaram alvos de ataques. A oposição de camarote assistindo o “bate cabeça” da situação.

Na semana passada, quando me referi ao Diretório municipal do PMDB de Uberaba, em minha página social, abro um parêntese, partido que tenho profundo respeito pela sua história de luta em defesa do Brasil, fecho parêntese, foi para chamar ao juízo à direção partidária. E me dou a esse direito sim, enquanto cidadã e militante ativa em defesa da cidade de Uberaba. Passei minha juventude lutando por um município mais cultural e com espaço de participação para todos.

Apreendi no PCdoB que não existe causa individual, frente ao coletivo. A posição do Wadson Ribeiro no cenário eleitoral é uma causa coletiva, mas não determinante no campo de aliança em Uberaba, como uma fonte do PMDB afirmou para a jornalista Giselda Campos essa semana.

O decisivo para definirmos nosso campo de aliança, é um processo de continuidade com responsabilidade, que provoque maiores avanços científicos e tecnológicos de gestão - o que estamos chamando do terceiro salto de desenvolvimento para Uberaba.

É com densa tristeza que vejo os atropelos seguidos de atos de desespero no processo eleitoral de 2012, ao ponto de fontes do diretório do PMDB incitar para a jornalista Giselda Campos, denúncias não comprovadas do Ministério dos Esportes, no objetivo de desqualificar o PCdoB quem vem sim, incidindo no Processo eleitoral de 2012.

Afirmo que vamos continuar avaliando politicamente os passos dos nossos aliados, lutamos muito pela democracia e liberdade. Não há donos de verdades nem dá coisa pública. E não vamos perder o “bonde” da história.

*Sumayra Oliveira - Presidente do PCdoB/Uberaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário