sábado, 8 de novembro de 2008

Roberto Damatta garoto propaganda do Programa TIM Grandes Escritores.

No último dia 5 Uberaba recebeu no Teatro Experimental, mais uma edição do Programa TIM Grandes Escritores. O evento trata-se de uma iniciativa que visa oferecer aos professores e alunos das escolas e universidades, e ao grande público em geral, a oportunidade ter um maior contato com o trabalho de grandes nomes da literatura brasileira, através de conversas oferecidas pelos próprios escritores. O objetivo do Programa é levar autores consagrados a municípios do interior para conversar e trocar idéias com as comunidades locais. Além disso, em parceria com a Superintendência de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais, o Programa promove a doação de livros para as bibliotecas públicas municipais e cria parcerias com prefeituras e universidades para a viabilização de políticas públicas relacionadas à leitura.

Apoiado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o programa é coordenado pela ONG Humanizarte e patrocinado pela empresa de telefonia TIM e pelo jornal Estado de Minas, que insere a iniciativa nas suas comemorações de 80 anos. Segundo Marcelo Andrade, presidente da ONG Humanizarte e idealizador do projeto, estimular novos leitores é o grande objetivo do Programa que vem sendo alcançado desde sua criação. “Esperamos que em sua sétima edição o projeto continue realizando sua missão, que é a de formar novos leitores a partir do encantamento do público com as palestras dos escritores, que geralmente falam sobre sua vida e obra. E realizamos a doação de livros, esses novos leitores terão à disposição as obras não só do autor convidado, mas também de outros grandes escritores da literatura brasileira”, afirma Andrade.

Como acontece há cinco anos, as cidades que integram o Programa receberão doações de livros dos autores convidados e de importantes escritores mineiros e brasileiros. Essa iniciativa enriquece o acervo disponível para os leitores que freqüentam as redes municipal e estadual de ensino e espaços públicos de leitura do interior de Minas. O Programa já realizou a doação de mais de 13.600 publicações a 40 municípios mineiros. "A cada nova iniciativa o Programa vai se completando e ampliando o acesso à leitura em novas cidades. Isso comprova seu crescimento ano a ano e amplia sua importância no processo de formação de novos leitores", ressaltou o diretor da TIM em Minas Gerais, Luiz Gonzaga Leal.

Nesta edição Uberaba, recebeu o antropólogo Roberto Damatta, um autor que literalmente ultrapassa a fronteira da antropologia ao retratar o Brasil com foco nos dilemas e ambigüidades sociais. Livros como A bola corre mais do que os homens: duas copas, treze crônicas e três ensaios sobre futebol, publicado em 2006; e Águias, burros e borboletas: um ensaio antropológico sobre o jogo do bicho, de 1999, demonstram perfeitamente o perfil do pesquisador, que sabe como ninguém explicar o Brasil para os próprios brasileiros.

Em outro trabalho muito citado de sua obra, a partir do carnaval, festa mais popular da cultura brasileira, DaMatta deixa de lado o Brasil oficial e lança um novo olhar sobre o país, colocando em foco elementos geralmente deixados à margem dos estudos antropológicos. Publicações como Carnavais, Malandros e Heróis e O que faz o brasil, Brasil? E “A Casa e a Rua” são referências na Antropologia, Sociologia e Ciência Política, abro aqui um parêntese pessoal; estou lendo estes dois últimos livros depois do último dia 5, para renovar minha crença, afinal esperarava escutar o Professor Emérito da Universidade de Notre Dame, EUA, professor visitante nas universidades norte-americanas de Winsconsin-Madison e Califórnia-Berkeley e da universidade inglesa de Cambridge. Conferencista nos principais centros de pesquisa e ensino de antropologia social da América, Europa, Ásia e África. Professor associado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro é o quarto autor mais citado em trabalhos acadêmicos em Ciências Sociais no Brasil, ficando atrás apenas de três pensadores estrangeiros: Karl Marx, Max Weber e Pierre Bourdieu, e ouvir por 60min, um garoto propaganda do Programa TIM Grande Escritores, repetindo leiam, leiam, leiam, como aquela “Comprem Batom, comprem batom”.

Uma decepção! Nas poucas vezes, durante a palestra, que Roberto Damatta foi Roberto Damatta, ele ponderou sobre algumas de suas teorias como; o estranhamento enquanto instrumento de compreensão do mundo; falou da vez que coordenou uma Pesquisa Social no interior de São Paulo, onde a abordagem inicial em pesquisa de campo deve ser sempre na defensiva, no sentido de Rousseau em o Contrato Social, com a solidariedade de se colocar no lugar do outro; pincelou a Sociedade Relacional uma obra prima teórica de Damatta, que expõe uma sociedade que se preocupa mais com as relações do que com a sociedade em si. Realmente uma pena para Uberaba, teve que se contentar com apenas mais um garoto propaganda sem fronteriras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário