sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Gosto mesmo é de ter Coragem


O que gosto mesmo é gente de coragem. Não me simpatizo com os fracos. 

Na Magna Moralia, Aristóteles dedica parte do livro à coragem. Para o filosofo, o homem corajoso é "o que mantém o sangue frio nas circunstâncias em que a maior parte ou a totalidade dos homens tem medo". E quais são as qualidades do homem de coragem? Em primeiro lugar, só a experiência do perigo permite dizer que uma pessoa é corajosa ou não: é por experiência, com efeito, que se sabe que, em tal lugar, em tais circunstâncias é capaz de enfrentar o perigo com sangue frio. Quem não possui experiência não pode ser chamado de corajoso.  Na verdade, o homem corajoso é aquele que pratica atos de coragem porque é correto e é belo fazê-lo. 

A coragem  não prescinde de um certo impulso e de alguma paixão, mas é  necessário que o impulso parta da parte racional da alma. Ser corajoso não é a mesma coisa que não ter medo. É ter medo, mas, ainda assim, aguentar firme, porque é correto e belo aguentar. Ser corajoso não é, também, ser capaz de enfrentar os perigos que estão longes. É ser capaz de aguentar e suportar os perigos que estão próximos e que estão a chegar.

"Quem tem consciência pra se ter coragem
Quem tem a força de saber que existe
E no centro da própria engrenagem
Inventa contra a mola que resiste."


Beijos para quem é de coragem!



Nenhum comentário:

Postar um comentário