segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Fórum Social reuniu 150 mil pessoas de 142 países

O Fórum Social Mundial 2009, realizado pela primeira vez na Amazônia, em Belém do Pará, chegou ao fim neste domingo (1°) com um total de 133 mil participantes inscritos, de 142 países, informou a organização do evento. Mas, no total, o número de pessoas envolvidas no FSM — reunindo participantes e trabalhadores — chegou a 150 mil.
O último dia do Fórum foi marcado pela realização de assembléias setoriais temáticas, pela parte da manhã, com a divulgação de algumas conclusões dos debates. Na parte da tarde, ocorreu a Assembléia das Assembléias, com apresentação de algumas propostas de campanhas globais que devem ser lançadas em 2009. Local e data do próximo FSM não foram definidos no domingo. O que está definido é que deverá ser em um país da África, em 2011.
Além das datas tradicionais — como os dias internacionais da mulher e dos trabalhadores rurais, e da cúpula do G8, em julho, da Cúpula das Américas, em abril, e do Clima, em dezembro —, os movimentos sociais propuseram a realização de uma semana de protestos contra o capital e a guerra entre os dias 28 de março e 4 de abril. Neste período, será criada uma nova articulação de países ricos que, além dos oito do G8, incluirão as demais 12 nações mais ricas do mundo.
Outro evento que deve ser alvo de mobilizações é a comemoração dos 60 anos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), marcada para o dia 4 de abril, em Estrasburgo, na França. No dia 30 de março, estão previstas ações unificadas de apoio à Palestina e contra os crimes de guerra cometidos por Israel em Gaza.
Já as organizações que discutem a dívida externa de países do Sul lançaram uma convocação para que todos os governos implementem auditorias e, com base nelas, declarem a ilegalidade das dívidas, suspendendo os pagamentos e exigindo reparação por processos abusivos de endividamento. O documento, assinado pela Campanha Jubileu Sul e pela Comissão Internacional pela Anulação da Dívida do Terceiro Mundo, também pede que os governos dos países do Sul se retirem do G20.
A organização do FSM divulgou os seguintes números como balanço final:
1- Total de participantes: 133mil
2 - Participantes inscritos no acampamento: 15 mil
3 - Crianças recebidas na Tenda Curumim-Erê : 3 mil crianças
4 - Trabalhadores voluntários, tradutores, equipe técnica e representantes de entidades organizadoras: 4.830
5 - Expositores de tendas, feira institucional, feira da economia solidária, restaurantes e lanchonetes: 5.200
6 - Eventos culturais: 200
7- Artistas: 1.000
8 - Profissionais comunicadores da imprensa oficial, mídia alternativa ou freelancer: 4.500 (2.500 credenciados e 2.500 à distância)
9 - Entidades e organizações inscritas: 5.808
Por continente:
África: 489
América Central: 119
América do Norte: 155
América do Sul: 4.193
Ásia: 334
Europa: 491
Oceania: 27
10 - Atividades autogestionadas inscritas: 2.310
11- Veículos de comunicação credenciados: 800 veículos de equipes de 30 países.
12 - Pesquisas de perfil de participantes: aproximadamente 2.150 entrevistas por amostragem.
Da Redação do vermelho, com informações da Carta Maior
Leia também: Löwy exalta Fórum Social 2009: quem está em crise é Davos

Nenhum comentário:

Postar um comentário