domingo, 1 de novembro de 2009

Quem sou eu?

Resolvi num sei porquê mas resolvi:
Mãe, mineira, aprendiz de socióloga. Adora aprender: sobre as coisas, sobre as pessoas e não cansa de se surpreender, nem sempre de forma positiva. Ama cheiros gostosos (chuva, comida boa, flores e gente perfumada), música (as de dançar e as de cantar), rir (sozinha e acompanhada, de si mesma também), ouvir mais do que falar e falar mais do que ouvir, de ser uma pessoa muito séria, viajar (mental e fisicamente). Além de tudo isso, ama seu filho, que são os olhos do mundo e ama a si mesma, embora tenha que lembrar-se de fazer isso valer, mesmo sim, tem uma auto-estima elevadíssima, um bom humor atípico e uma versatilidade ímpar.
Gosto de se comunicar, ligar as coisas, conceituar o mundo, relacionar, idealizar, entender e explicar. Amante da lua e de um bom livro, se de bagagem houver uma "boa companhia", melhor ainda. Ficaria entusiasmadamente um dia inteiro assistindo a uma série sobre política, Apreciadora nata de uma boa gastronomia. O mais afrodisíaco de todos os ingredientes é a inteligência; são nesses momentos que aprendo a praticar a arte da audição que ainda me falta (falar e ouvir e ouvir falar, ainda faço um poema disto). Nos braços de quem amo me descubro, sensível, cambiante, intensa e ainda uma doce criança.
Fruto de mel da jataí, leite de cabra e muito pequi, vinda da mistura de um intelectual virginiano com uma romântica limbrana, criada para o mundo, com uma autodefesa espetacular e base de muita pimenta. Pronto: explicado, o porquê sua mãe a chama de pimenta com limão e seus amigos de Stalina.
Uma mulher de trinta anos tentando encontrar a própria verdade, buscando o conhecimento, tentando entender o mundo e as pessoas. Assim, também gosta de samba, futebol, teatro, livros, fotografia, flores, amigos e botecos. Feliz, acorda de bom humor, anda menos anti-social. Tem uma TPM mortal e como arma, uma doçura brava que floresce em sua alma de mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário