quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Pesquisa SINPRO MINAS

Uma pesquisa inédita - divulgada ontem, 24, pelo Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-MG) mostra que ataques verbais e ameaças também fazem parte da realidade das escolas privadas, da educação infantil ao ensino superior. Foram entrevistados 686 professores de todo o estado, dos quais 62% disseram ter presenciado agressão verbal em estabelecimento de ensino, quase um terço revelou ter visto agressão física e mais de um terço já viu situações de intimidação e ameaças. A pesquisa "Rede particular de ensino: vida de professor e violência na escola" também aponta supostas causas para o problema. Para a maioria dos professores (75%), a omissão familiar é uma das principais responsáveis por atitudes violentas de alunos. O presidente do Sinpro Minas, Gilson Reis, destaca que o fenômeno tem se aprofundado ao longo da década. "Desde então, a relação cliente-serviçal está se sobressaindo à relação professor-aluno. Vemos também que a família transfere completamente para a escola a educação dos filhos. Percebemos, entretanto, que este problema ainda está muito internalizado, pois as instituições escondem casos de violência e professores ficam intimidados, temendo perder o emprego", afirma. A pesquisa foi elaborada entre 2007 e 2008, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Educação da PUC-Minas.
(Estado de Minas, p.21 - Flávia Ayer; Hoje em Dia, p. 25 - Renata Galdino; O Tempo, p. 24 - Andréa Silva, 25/11/2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário